Olho-vivo

História das Artes > Arquivo "Olho-vivo"
A Anunciação, Leonardo da Vinci

A Anunciação, Leonardo da Vinci

Não há prova documental relativa a esta pintura, mas ela é de tão alta qualidade que a maioria dos estudiosos consideram-na uma das primeiras obras-primas de Leonardo, elaborada provavelmente logo depois que ele ingressou, como “mestre”, na Corporação dos Pintores de Florença. Foi pintada encomenda do convento de Monteoliveto, nas proximidades de Florença. Continue Lendo

A Natividade, Piero della Francesca

A Natividade, Piero della Francesca

Evidencia-se, na linguagem pictórica de Piero della Francesca, um soberano destaque dos componentes mais narrativos da representação, que são, apesar disso, evidenciados por uma fixa e calculada rede de relações métricas e cromáticas. Continue Lendo

Como fazer um portfólio

Como fazer um portfólio

Para guardar seus desenhos e pinturas em papel, importante ter um portfólio (uma pasta) feito por você mesmo para isso.

Já experimentamos várias combinações cromáticas seguindo a sequência do Circulo Cromático, agora é a vez de colecionar suas obras e ter um portfólio para guardá-las. Continue Lendo

Narciso, Caravaggio

Narciso, Caravaggio

O quadro foi pintado no início da carreira de Caravaggio em Roma, e só foi redescoberto no século 20, pelo historiador Roberto Longhi em 1916, apenas dois anos antes do ensaio de Freud “Sobre o narcisismo”, que define o conceito psicanalítico como organizador do ego. Continue Lendo

Apolo e Dafne, Antonio del Pollaiolo

Apolo e Dafne, Antonio del Pollaiolo

Amor, ofendido pelo deus Apolo, lança contra a ninfa Dafne uma das suas flechas de chumbo, que provocam a repulsa ao amor, enquanto dispara contra Apolo uma flecha de ouro, que infunde em quem a recebe um sentimento amoroso. Continue Lendo

O Tríptico Donne, Hans Memling

O Tríptico Donne, Hans Memling

Alguns trípticos tinham dimensões notáveis e funções de retábulo de altar; outros pelo contrário, de formatos contidos, como este, eram portáteis e os dois pequenos painéis laterais abriam-se para mostrar a ena central. Continue Lendo