O Batismo de Cristo, Leonardo da Vinci

História das Artes > Olho-vivo > Análise Estética > Obras Analisadas > O Batismo de Cristo, Leonardo da Vinci
O Batismo de Cristo, Leonardo da Vinci

Este quadro reproduz um tema de devoção bastante tradicional. Trata-se de Verrocchio, um dos pintores e bronzistas florentinos mais afamados do último terço do século 15. Leonardo da Vinci fazia parte, naquela altura, da oficina do seu mestre. Na qualidade de aprendiz, pinta o anjo da esquerda e a matizada paisagem do fundo. Apesar da juventude do artista, o seu trabalho pode ser apreciado, sendo completamente diferente do conjunto da obra. Esta caracteriza-se pelo predomínio do desenho, cores planas e figuras monumentais escultóricas.

Vasari conta um presumível episódio, no qual o mestre Verrochio não voltou a pintar, sentindo-se humilhado, ao constatar a perícia demonstrada pelo seu discípulo neste quadro.

O que é verdadeiramente interessante na obra é o contraste que se produz entre a zona pintada pelo aprendiz Leonardo e o resto do quadro, pintado pelo mestre. Verrocchio concebe uma pintura plena de gravidade, segundo os cânones da época. A solenidade do momento incrementa-se com figuras monumentais, de aspecto escultórico.

A linha é um elemento técnico decisivo. Perante essa sobriedade, o artista opta por representar um anjo extraordinariamente delicado e de rosto ambíguo.

A paisagem do fundo está suavemente matizada por uma atmosfera irreal. Uma luz arbitrária incide sobre a superfície da tela, graduando formas e cores. O desenho tem ainda o papel mais importante que posteriormente cede ao sfumato e ao claro-escuro.

O quadro obedece a duas linguagens estéticas diferentes: uma que começa a se extinguir e que se baseia no predomínio absoluto do desenho. A linha e as cores planas perdem terreno pouco a pouco a favor de uma visão diferente, simbolizada no anjo localizado na margem direita da tela e na paisagem do fundo.

Verrocchio era também escultor, isto determina a sua concepção da figura dentro do quadro. Leonardo cria uma forma de entender a arte pictórica radicalmente oposta à de Verrocchio. A luz e as sombras servem-lhe para modelar volumes e matizar tonalidades. As figuras encontram-se integradas num âmbito espacial contínuo, também coberto por uma densa atmosfera, cheia de idealização.

O Batismo de Cristo, 1472-1475, óleo e têmpera sobre madeira, 177 × 151 cm, Verrocchio, Leonardo da Vinci, Galleria degli Uffizi, Florença, Itália.

pincelAgora que você sabe mais detalhes sobre essa obra de Leonardo da Vinci, experimente desenvolver sua releitura sobre o tema, inspire-se nas características do Renascimento, usando o material colorido que você mais gostar.

quadroFotografe seu trabalho e compartilhe sua experiência conosco, nas nossas redes sociais, usando a #historiadasartestalento

 

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: