Autor: Margaret Imbroisi

História das Artes > Artigos postados por Margaret Imbroisi
Vazios, Intervalos e Juntas | MASP | Casa de Vidro

Vazios, Intervalos e Juntas | MASP | Casa de Vidro

Uma artista e duas exposições em São Paulo.

Definidas pela própria artista como “esculturas criadas no espaço”, os trabalhos de Leonor Antunes (Lisboa, Portugal, 1973) estabelecem relações entre a escultura, a arquitetura, o design, a luz, e o corpo — do espectador que trafega pela galeria ou do ambiente que a artista ocupa.

Antunes dedica atenção especial aos materiais que emprega, frequentemente naturais ou orgânicos, bem como à ação do tempo e do uso sobre eles, sublinhando traços e tramas, técnicas e texturas. Continue Lendo

Gego: A Linha Emancipada | MASP | SP

Gego: A Linha Emancipada | MASP | SP

A exposição vai encerrar o ciclo das “histórias das mulheres, histórias feministas”, que foi a base do MASP em 2019. A artista Gego (Gertrud Goldschmidt, Hamburgo, Alemanha, 1912–Caracas, Venezuela, 1994) estudou arquitetura e engenharia em Stuttgart; enfrentando o crescente antissemitismo no seu país de origem, ela migrou para a Venezuela em 1939, onde trabalhou como arquiteta. Continue Lendo

Curiosidade sobre o Presépio

Curiosidade sobre o Presépio

A tradição conta que o primeiro presépio foi montado em 1223, na Itália.

E o seu autor foi São Francisco de Assis.

O Santo utilizou peças confeccionadas em argila para representar os personagens.

Além disso, ele ilustrou a cena com animais vivos: um boi e um jumento.

Naquela época a Igreja se valia de muitas imagens para o povo, maioria analfabeto, entender o que diziam as Sagradas Escrituras.

A história narra que ele queria encontrar uma forma mais simples de explicar aos camponeses de sua região como foi o nascimento de Jesus, visto que eles não conseguiam compreender a narrativa bíblica.

Foi então que ele decidiu que a celebração do nascimento, naquele ano, não aconteceria na Igreja, mas sim num bosque.

São Francisco pensou cuidadosamente em cada personagem, de maneira que até mesmo a participação dos animais na cena tem uma explicação.

Quais são os personagens?

São José, pai adotivo de Jesus, da Virgem Maria, a Mãe Santíssima, do Menino Jesus, cuja imagem deve ser coloca no presépio apenas na noite de Natal e dos três Reis Magos, que presenteiam o menino com ouro, incenso e mirra, São Francisco incluiu no presépio mais alguns personagem.

São eles: os pastores, que simbolizam a simplicidade do povo e os Anjos, que anunciam e atraem os pastores para o local no nascimento do Menino Jesus.

Detalhe do Presépio Napolitano acervo do Museu de Arte Sacra de São Paulo.

Entre os animais que compõem a cena do presépio, São Francisco também escolheu ovelhas e um galo.

O significado de cada um dos animais: o jumento simboliza a humildade dos pagãos; o boi representa a bondade, a força pacífica e o povo hebreu; o galo anuncia a boa nova da chegada de Jesus; e as ovelhas querem nos dizer que Jesus veio a este mundo para sacrificar-se por nossa salvação.

Aquele Natal foi como São Francisco queria: inesquecível.

Marcou tanto a história que até hoje não há Natal sem presépio.

Exemplo disso é o Presépio Napolitano que faz parte do acervo do Museu de Arte Sacra de São Paulo, que mostra o Nascimento de Jesus em cenas tipicas da cidade italiana.

Detalhe do cotidiano da cidade italiana que integra o Presépio Napolitano do acervo do Museu de Arte Sacra de São Paulo.
Como fazer um portfólio

Como fazer um portfólio

Para guardar seus desenhos e pinturas em papel, importante ter um portfólio (uma pasta) feito por você mesmo para isso.

Já experimentamos várias combinações cromáticas seguindo a sequência do Circulo Cromático, agora é a vez de colecionar suas obras e ter um portfólio para guardá-las.


Proposta: Portfólio (pasta) para guardar seus desenhos

 

Material:

Três folhas de papel resistente (cartolina, papel cartão ou color set, de 23 x 43 cm. caso seus desenhos foram feitos com papel A4
Tesouras
Régua
Fita adesiva
Cola em bastão
Grampeador e grampos

Como fazer:

-Alinhe duas folhas de papel.
Faça isso de modo que elas fiquem perfeitamente uniformes.

Se você estiver usando papel de cartão estampado de apenas um lado, certifique-se de que esse lado fica para fora – ele será o exterior da pasta.

-Cole os pedaços de papel uns aos outros com fita.

Com os dois pedaços uniformes, use um pedaço longo de fita para unir tudo.

Tente prender a fita a ambas as folhas sem causar dobras indesejadas ou bolhas no material.

Certifique-se de que ambas as folhas ficam uniformes enquanto você as prende com a fita.

Caso contrário, a pasta não se fechará de modo simétrico.

Para fortalecer a pasta, você pode adicionar tiras extras de fitas de cada lado do produto.

Sobreponha as porções de fita já passadas.

-Passe fita na linha central externa da pasta.

Depois, abra a pasta e passe mais uma porção de fita no seu lado interno.

Isso reforçará a estrutura, além de evitar acidentes com o que você puser na pasta.

-Apare 0,6 cm da terceira folha de papel.

Para começar a fazer os bolsos, faça esse corte verticalmente.

O resultado será uma folha de 20 x 28 centímetros, na terceira folha

-Corte a terceira folha pela metade.

Você a usará para fazer bolsos internos na pasta.

Esse corte será perpendicular ao corte anterior – e, no fim, você terá dois pedaços de papel de dimensões aproximadas de 14 x 20 centímetros.

-Passe fita pelos bolsos.

Pegue um dos pedaços menores do produto e o alinhe com uma das extremidades da base interna da pasta.

Faça com que o lado de 20 cm da folha menor fique paralelo ao lado de 21 cm da “capa”.

Após isso, passe pedaços de fita em ambas as extremidades, como você fez no início para unir as duas partes da pasta.

Novamente: tente manter a fita lisa e evite dobras e bolhas.

Assim como a fita na parte externa, você deve reforçar os bolsos com faixas adicionais que se sobreponham às antigas.

Isso aumentará a vida útil do objeto.

Repita o processo para a segunda pasta do outro lado.

-Personalize a pasta.

Se você tiver usado papel comum em vez de algo estampado, poderá personalizar o produto com adesivos, desenhos e

até fotos.

Reforçar a pasta com mais fita ou grampos a tornará mais durável.


Seu portfólio está pronto! Fotografe-o com suas obras sobre as experiências cromáticas e disponibilize nas mídias sociais #historiadasartes/talento

 

 

 

 

 

Exposição Antonio Bandeira | MAM | SP

Exposição Antonio Bandeira | MAM | SP

Um dos pioneiros do abstracionismo no Brasil, o pintor ganha exposição que abrange diversos períodos de sua produção, com curadoria de Regina Teixeira de Barros e Giancarlo Hannud.

A exposição recebe um conjunto de cerca de 60 trabalhos do artista Antonio Bandeira (1922–1967)

Ela reúne obras de diferentes fases da produção do artista, desde as primeiras pinturas figurativas até as grandes telas de tramas, criadas nos últimos anos de sua carreira.

Continue Lendo

Memorial do Desenho | MAC-USP | Ibirapuera | SP

Memorial do Desenho | MAC-USP | Ibirapuera | SP

A exposição apresenta um relevante recorte do acervo de desenhos do museu paulistano, com obras modernas e contemporâneas.

Dentro da coleção de mais de 10 mil obras da instituição, cerca de 70% são em suporte papel, e foi principalmente nestas peças que a curadora Carmen Aranha focou sua pesquisa. Continue Lendo

Exposição Linhas da Vida | Chiharu Shiota | CCBB SP

Exposição Linhas da Vida | Chiharu Shiota | CCBB SP

A transitoriedade dos ciclos da vida, a memória e a própria experiência pessoal inspiram a obra da japonesa Chiharu Shiota.

Conhecida principalmente por seus trabalhos site specific em grande escala, frequentemente compostos por emaranhados de linhas, Shiota é autora de uma obra multidisciplinar, desdobrada em suportes diversos: são instalações, performances, fotografias e pinturas. Continue Lendo