Barroco

História das Artes > Posts com a tag "Barroco"
A Condessa de Chinchón, Francisco de Goya

A Condessa de Chinchón, Francisco de Goya

Os retratos de Goya formam, no seu conjunto, um dos capítulos mais intensos deste gênero pictórico. Nos retratos em pé ou sentados, de corpo inteiro ou meio-corpo, sobre fundo neutro, sempre se refere à tradição dos mestres estudados, em particular a Ticiano e  a Velázquez, e acentua, progressivamente, a inquietação da personagem, que aparece deslocada e isolada. Continue Lendo

São Francisco de Assis na Arte dos Mestres Italianos | MAB FAP | SP

São Francisco de Assis na Arte dos Mestres Italianos | MAB FAP | SP

Figura dotada de enorme relevância histórica e carisma, São Francisco de Assis é, sem dúvida alguma, um dos santos católicos mais cultuados da história.

Personalidade marcada por sua humildade e alegria, dedica-se aos pobres e nutre amor imensurável pela natureza, inspirando um imaginário coletivo que se estende por séculos. Continue Lendo

O Triunfo de David, Nicolas Poussin

O Triunfo de David, Nicolas Poussin

O quadro situa-se entre os mais bem conservados da maturidade do artista francês, que se mudou para Roma em 1624. Aqui se encontram, em perfeito e calculado equilíbrio, elementos que rementem para a antiguidade clássica, enquanto outros denotam o profundo conhecimento das cores quentes da paleta de Ticiano. Continue Lendo

Mulher Banhando-se no Riacho, Rembrandt

Mulher Banhando-se no Riacho, Rembrandt

O quadro é uma das obras-primas do artista, no auge da fama e do domínio absoluto da sua arte. É uma imagem delicadamente íntima, informal na pose e de uma irresistível proximidade que se supôs tratar-se de uma obra incompleta. Continue Lendo

Cristo no Calvário, Juan de Valdés Leal

Cristo no Calvário, Juan de Valdés Leal

Concidadão e quase contemporâneo de Murillo, Valdés Leal representa um aspecto distinto da pintura devota espanhola do século 17. O que em Murillo é agradável, amável, suave e familiar, nele é obscuro e dramático, carregado de paixão, violenta, representante de uma religiosidade mortificada. Continue Lendo

As Vaidades da Vida Humana, Harmen Steenwyck

As Vaidades da Vida Humana, Harmen Steenwyck

Este intrigante quadro de Steenwyck é um belo exemplo de um tipo de natureza-morta conhecida como Vanitas. É repleto de referências à morte e ao vazio da vida, e quanto mais o estudamos, mais ele revela ser um sermão visual baseado nos ensinamentos do Livro do Eclesiastes, no Velho Testamento. Em latim, vanitas significa vaidade, no sentido de algo vão, sem valor, e não no Continue Lendo

A Forja de Vulcano, Diego Velázquez

A Forja de Vulcano, Diego Velázquez

A cena representa a entrada de Apolo na forja de Vulcano, a quem o jovem deus revela a traição da sua mulher, Vênus, com Marte; a notícia também colhe de surpresa os ajudantes do ferreiro divino, ocupados na fabricação das armas para o deus da guerra. Continue Lendo