Mês: maio 2018

História das Artes > 2018 > maio (Página 3)
Exposição Ex Africa

Exposição Ex Africa

Pela primeira vez um grande e essencial panorama da arte contemporânea do continente e da identidade da África moderna. Com uma diversidade de encontros culturais e interações, por processos de intercâmbio e aculturações, através da recente produção de 18 artistas, vindos de 8 países africanos. Continue Lendo

Banhistas em Asnières, Georges Seurat

Banhistas em Asnières, Georges Seurat

A cena de trabalhadores e de rapezes tomando banho no rio Sena, perto de Clichy (onde no horizonte se veem fábricas e chaminés), é a primeira prova do gosto pelo monumental, que Seurat exibirá daí a pouco na célebre e vasta tela Uma Tarde de Domingo no Grande Jatte, hoje no Art Institute de Chicago. Na verdade, aquela ilha é a faixa de terra que se vê na extremidade direita. Continue Lendo

O Pentecostes, El Greco

O Pentecostes, El Greco

No início do século 17, as composições adquirem maior verticalidade, quase que uma deformação irreal, tomadas por tensões místicas palpitantes e por luzes fosforescentes. Este quadro, que, segundo alguns estudiosos, terá sido pintado na última década de atividade de El Greco, falecido em Toledo em 1614, é característico das suas últimas produções e representa, por isso mesmo, um Continue Lendo

Agulhões em Port-Corton, Claude Monet

Agulhões em Port-Corton, Claude Monet

Os quadros de Claude Monet são sempre referências de jardins, flores, a luz que passa nos mais variados horários do dia ou da noite, vapor de um trem, a transparência da água. Continue Lendo

A Crucificação, El Greco

A Crucificação, El Greco

A intensa e patética comoção de algumas das obras sacras de El Greco é como que um timbre dolorido que parece vibrar do interior da tela e reverberar até o observador. Na última fase da sua carreira, já longe das influências do classicismo italiano e mais livre depois de ter consolidado a sua fama, o pintor expressou a inspiração mística que emergia do seu espírito. Continue Lendo

Mulher Vestida de Preto na Ópera, Mary Cassatt

Mulher Vestida de Preto na Ópera, Mary Cassatt

Mulher Vestida de Preto na Ópera, da pintora americana Mary Cassatt . A artista sofreu diversas restrições sociais pelo fato de ser uma mulher envolvida na pintura, mas mesmo assim usou a arte para a sua independência e livremente se expressar, mesmo numa época que falar em gêneros era impossível. Continue Lendo

O Batismo de Cristo, El Greco

O Batismo de Cristo, El Greco

O formato preferido pelo pintor para as grandes composições sacras é um retângulo alongado com uma altura que é mais que o dobro da base. Esta proporção facilita a verticalidade das figuras e coloca as cenas em dois níveis sobrepostos. Na parte de baixo, as figuras têm uma maior corporização terrena, enquanto na parte mais alta, reservada às aparições divinas e aos coros angelicais, a Continue Lendo

Criar uma escultura barroca com as crianças

Criar uma escultura barroca com as crianças

Com várias invasões de outros países que também queriam ficar com as riquezas do solo brasileiro e também ao desgaste do tempo, pouco sobrou da arte colonial. Graças aos missionários que aqui chegaram no nosso pais, a Arte Barroca chegou às colônias, lembrando que a Europa já havia abandonado o Barroco, quando o estilo chegou ao auge no Brasil, que aconteceu entre 1763 a 1822. Continue Lendo

O Cavaleiro com a Mão no Peito, El Greco

O Cavaleiro com a Mão no Peito, El Greco

Neste retrato, a maestria do pintor consegue criar o modelo de nobre espanhol do século 16, que, com a sua pose, afirma ao mesmo tempo a sua fé e a sua nobreza, assim como a vontade de defender a ambas com a espada. Apesar do mau estado de conservação (o braço esquerdo está completamente borrado), é um dos melhores exemplos de retratística de El Greco, realizado em Continue Lendo