Mês: março 2015

Michelangelo e os Medici

Michelangelo e os Medici

Os Medici chegaram a Florença no século 12, mas se solidificaram política e economicamente, construindo grande fortuna a partir de Cosimo de Medici, que, em 1534, já era figura principal da cidade. A ele, com influência crescente, seguiram-se  o filho Piero e o neto Lorenzo. Durante a soberania dos Medici, a família alternou períodos de perseguição e exílio (de 1494 a 1512 e de 1527 a 1530) com outros de domínio absoluto da cidade e da província da Toscana. Entre seus familiares houve grande nobres e dois papas (Leão X e Clemente V). Continue Lendo

O Poeta Michelangelo

O Poeta Michelangelo

Festejado como gênio da pintura, escultura e arquitetura, poucos sabem que Michelangelo também fez poesia.

Afinal, como ele reconhecia, “escrever é muito custoso para mim, e não é a minha arte”. Mas ele havia dito algo parecido sobre a pintura, e a Capela Sistina nos mostra que o artista pode ser exigente demais consigo mesmo. Continue Lendo

Biógrafo do Renascimento

Biógrafo do Renascimento

Giorgio Vasari (1511-1574) foi pintor e arquiteto, mas ficou conhecido como o grande historiador da arte, através de seu livro “Vite ou Le vite de’ più eccellenti pittori, scultori e architettori”, onde registrou a biografia dos principais artistas do Renascimento. Continue Lendo

Nova iluminação da Capela Sistina

Nova iluminação da Capela Sistina

Desde novembro de 2014, a famosa Capela Sistina tem nova iluminação com tecnologia avançada.

Ela apresenta suas preciosas obras para 4,5 milhões de visitantes por ano em uma variedade de cores completamente nova, porque até então as cores dos famosos afrescos do artista italiano Michelangelo eram difíceis de serem visualizados na transição entre o dia e a noite. Continue Lendo

A maravilhosa Capela Sistina

A maravilhosa Capela Sistina

A Capela Sistina foi construída entre 1473 e 1483 pelo arquiteto Giovanni de Dolci para ser o oratório privado do para Sisto IV, de quem tomou o nome que a celebrizou. Em maio de 1506 o papa Júlio II, desejando embelezar o Vaticano e entrar para a história como patrono das artes, mandou Michelangelo decorar a abóboda do teto da capela, então ornada com um painel de estrelas douradas sobre um fundo azul. Continue Lendo

O Presépio Napolitano no Brasil

O Presépio Napolitano no Brasil

A ideia de um Museu de Presépios teve início em 1949, quando Francisco Matarazzo Sobrinho, o Ciccillo, trouxe da Itália um exemplar do precioso Presépio Napolitano, do século 18, composto de 1620 peças, existindo somente dois conjuntos dessa proporção remanescentes do mundo: o do Palácio Real de Nápoles e o da Basílica de São Cosme e Damião, nas ruínas do Fórum Romano. Continue Lendo

A História dos Presépios

A História dos Presépios

O surgimento do presépio napolitano começa em 1223 quando São Francisco de Assis realiza a primeira encenação da natividade em Greccio, uma pequena cidade da Itália central. Em 1290, a igreja de Santa Maria Maior, em Roma, foi reformada e instalada ali a Capela do Presépio, que abrigava um grupo esculpido representando o nascimento de Jesus. Continue Lendo