Museu de Arqueologia e Etnologia – MAE – USP

História das Artes > Museus > Museu de Arqueologia e Etnologia – MAE – USP
Museu de Arqueologia e Etnologia – MAE – USP

Foi criado em 1989, a partir do desmembramento dos setores de arqueologia e etnologia do Museu Paulista, aos quais se fundiram as coleções do Instituto de Pré-História da USP, do antigo museu homônimo da FFLCH e do Acervo Plínio Ayrosa. Localizado na Cidade Universitária, em São Paulo.

O museu possui um dos maiores acervos de artefatos arqueológicos e etnográficos do Brasil, composto por mais de 150.000 peças, formado por meio de coletas de campo, escavações, compras, permutas, comodatos e doações, desde o fim do século XIX.

A coleção arqueológica abrange os povos e civilizações do Mediterrâneo e do Oriente Médio, da América pré-colombiana e, sobretudo, do Brasil pré-colonial. A coleção etnográfica abrange peças relativas às populações africanas e afro-brasileiras e aos povos indígenas de todas as regiões do Brasil. Possui ainda uma vasta biblioteca, com cerca de 60 mil volumes, entre livros, catálogos, teses, periódicos e obras raras.

O MAE oferece cursos de extensão e disciplinas optativas para estudantes de graduação. Em nível de pós-graduação, mantém o Programa de Arqueologia para graduados em geral, formando profissionais nas áreas de arqueologia pré-histórica e histórica e arqueologia clássica.

A pesquisa é desenvolvida na forma de atividades de gabinete, campo e laboratório, em convênio com diversas instituições brasileiras e estrangeiras.

Mantém o Centro Regional de Pesquisas Arqueológicas Mário Neme, na cidade de Piraju, e o Museu Regional de Iguape, no Vale do Ribeira, como núcleos de apoio logístico e operacional para pesquisas de campo.

Também possui vínculos com o Centro de Arqueologia Biomas da Amazônia, no município de Iranduba, em conjunto com a Universidade do Estado do Amazonas.

Desde 1993, o MAE está instalado em um edifício de aproximadamente 4 000 metros quadrados, ao lado da Prefeitura da Cidade Universitária Armando Salles de Oliveira, localizada na Zona Oeste da capital paulista.

O local, anteriormente pertencente ao BID-Fundusp, foi reformado e ampliado para recepcionar o museu.

O espaço é equipado com laboratórios de conservação e restauro, pesquisa e fotografia, arquivo, biblioteca, áreas para ação educativo-cultural, espaços expositivos e reserva técnica.

É, entretanto, considerado insuficiente para as necessidades do museu. Em função da falta de espaço físico, somente 1% de todo o acervo encontra-se em exposição permanente.

Em 1999, a Universidade de São Paulo apresentou projeto de construção de um complexo arquitetônico de 120 000 metros quadrados, de autoria do arquiteto Paulo Mendes da Rocha, conhecido como “Praça dos Museus”, para onde seriam transferidos o MAE, o Museu de Zoologia e o Museu de Ciências, mas não foi levado adiante.

Em 2010, o projeto foi retomado, com base num acordo de compensação da doação de um sítio arqueológico no Itaim Bibi entre o Ministério Público Federal, a USP, o IPHAN e os empreendedores responsabilizados.

Desse modo, o agora futuro “Parque dos museus” está sendo construído na Cidade Universitária, com 53 mil m², incluindo apenas o MAE e o Museu de Zoologia.

O Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo  lançou do Programa de Atendimento ao Público Especial – Kit Multissensorial de Arqueologia.

Neste lançamento ocorreu uma mesa-redonda com especialistas de algumas instituições museológicas de São Paulo que já possuem projetos em desenvolvimento junto ao público deficiente visual.

Este Kit Multissensorial foi pensado e concebido pela equipe de educadores desta instituição como mais um instrumento que visa não apenas divulgar aspectos do conhecimento arqueológico relativo às sociedades indígenas que viveram no território brasileiro, mas sobretudo em propiciar momentos de maior proximidade com o público que apresenta dificuldades para fruir o conhecimento pela observação visual.

Para tanto, foram pensados recursos específicos a partir de maquetes táteis que representam sítios arqueológicos, aspectos do trabalho do arqueólogo no campo e no laboratório, objetos originais encontrados em escavações e, também, informações em áudio para serem desfrutadas em outros ambientes.

Além disso, também é composto por um Caderno de Apoio em tinta e braille que contém um texto científico que explicita conteúdos a respeito da arqueologia brasileira.

Acreditamos que a partir desta proposta original e enriquecedora, tanto o MAE-USP como o público especial, saiam renovados de uma experiência que é, antes de tudo, de apropriação e democratização do conhecimento que pertence a todos e a todos deve ser oportunizado, descoberto e construído coletivamente.

MAE Museu de Arqueologia e Etnologia da USP. Avenida Professor Almeida Prado, 1466 – Cidade Universitária – Butantã – São Paulo – SP . Aberto de segunda a sexta, das 8h às 17h.
Fique atento! Horários podem mudar sem aviso prévio. Consulte sempre os sites oficiais.

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *