Museu de Arte de Ribeirão Preto “Pedro Manuel-Gismondi” (MARP)

História das Artes > Museus > Museu de Arte de Ribeirão Preto “Pedro Manuel-Gismondi” (MARP)
Museu de Arte de Ribeirão Preto “Pedro Manuel-Gismondi” (MARP)

É um museu de arte localizado na cidade de Ribeirão Preto, no interior do estado de São Paulo, Brasil.

Inaugurado em 1992, com o objetivo de reunir o acervo artístico pertencente à prefeitura, o museu é uma instituição pública municipal, subordinado à Secretaria Municipal da Cultura.

Desde a sua fundação, o museu encontra-se instalado no antigo edifício da Sociedade Recreativa, inaugurado em 1908, que também já serviu de sede à Câmara Municipal de Ribeirão Preto.

Em pouco mais de duas décadas de existência, o museu já sediou mostras importantes e desenvolveu concursos e projetos de alcance nacional, destacando-se o Salão de Arte de Ribeirão Preto (SARP).

O museu possui um acervo artístico focado na produção regional, mas abrangendo também importantes nomes da arte moderna e contemporânea brasileira.

É equipado com biblioteca especializada e mantém atividades educativas e culturais.

O museu também administra um segundo espaço expositivo, localizado no Centro de Convenções Ribeirão Preto, e desenvolve suas atividades em colaboração com outras instituições culturais da cidade.

Desde sua inauguração, o Museu de Arte de Ribeirão Preto encontra-se localizado na antiga sede da Sociedade Recreativa, construído no início do século XX.

O edifício, em estilo eclético, foi projetado pelo arquiteto ítalo-brasileiro Affonso Geribello e sua execução ficou a cargo de Vicente Lo Giudice.

Foi inaugurado em 31 de dezembro de 1908.

Em 1924, o edifício foi ampliado, após a aquisição de um terreno contíguo.

Novas adaptações foram realizadas em 1935.

Em 1945, o Conselho Deliberativo da Sociedade Recreativa aprovou a construção de uma nova sede para substituir o edifício de 1908, que, segundo a mesma resolução, deveria ser demolido.

O plano, entretanto, não se concretizou.

Em 1951, a Sociedade Recreativa lançou novamente um concurso para a escolha a nova sede, a ser erguida no terreno de sua sede de campo, desta vez de forma bem sucedida.

Após a mudança da Sociedade Recreativa, sua sede passou a ser ocupada pela Câmara Municipal de Ribeirão Preto, em 1956.

A Câmara Municipal funcionou no prédio até 1984, quando foi transferida para a sede atual (pavimento superior da Casa da Cultura).

Após uma grande reforma, o edifício passou a abrigar o museu, em 1992.

Em 2008, o edifício foi tombado pelo Conselho de Preservação do Patrimônio Cultural de Ribeirão Preto (Conppac), em resposta à iniciativa do processo de tombamento iniciado pela Associação de Amigos do MARP em 2006.

O Museu de Arte de Ribeirão Preto possui um acervo com mais de mil obras, a maioria das quais realizadas por artistas de Ribeirão Preto e região no período do pós-guerra.

As mais representativas obras do acervo foram reunidas por meio do tradicional Salão de Arte de Ribeirão Preto (SARP), realizado anualmente há mais de três décadas.

O acervo possui núcleos significativos de obras dos chamados “cinco históricos”, isto é, os artistas plásticos que mais se destacaram em Ribeirão Preto durante as décadas de 1970 e 1980: Odilla Mestriner, Pedro Manuel-Gismondi, Francisco Amêndola, Bassano Vaccarini e Maurilima, além de Domenico Lazzarini, pintor ítalo-brasileiro que, ao lado de Vaccarini, foi responsável pela modernização das artes em Ribeirão Preto, ao fundar o Núcleo de Artes Plásticas em 1957 (embrião da atual Escola de Artes Plásticas de Ribeirão Preto).

Outros importantes artistas regionais presentes no acervo são Francisco Amêndola, Vagner Dante Veloni, Fernando Dias, Sofia Borges, Regina Johas e Renata Lima.

Em menor escala, estão representados no acervo artistas contemporâneos de expressão nacional ou internacional, tais como Alex Flemming, Rosângela Rennó, León Ferrari, Leda Catunda, Marcelo Grassmann, Ana Maria Tavares, Ester Grinspum, Vânia Mignone, Siegbert Franklin, Leonilson, Rodolpho Parigi e Niobe Xandó ademais de um pequeno núcleo de obras do modernismo, com destaque para a escultura Maternidade, de Lasar Segall.

A Biblioteca Leopoldo Lima, localizada no térreo do edifício, é especializada em história da arte e aberta à visitação pública.

O museu também abriga a Biblioteca e Arquivo Pedro Manuel-Gismondi – acervo documental e bibliográfico, com cerca de 3.000 volumes, entregue pela família de Manuel-Gismondi ao MARP em regime de comodato.

Endereço: R. Barão do Amazonas, 343 – Centro, Ribeirão Preto – SP, 14080-270 -Telefone:(16) 3635-2421
Horário: de terça a sexta-feira, das 9h às 18h; sábados das 12h às 18h

Fique atento. Os horários podem sofrer modificações. Consulte o site oficial.

 

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *