Museu Unterlinden

História das Artes > Museus > Museu Unterlinden
Museu Unterlinden

Uma visita ao Museu Unterlinden abrange cerca de 7.000 anos de história, desde a era pré-histórica até a arte do século 20. Além das coleções de enciclopédia do museu, os visitantes também podem descobrir as múltiplas facetas de sua arquitetura, que foram unificadas e aprimoradas pelos arquitetos Herzog & de Meuron.

O claustro medieval apresenta a arte da Idade Média e do Renascimento, com obras de Martin Schongauer, Hans Holbein e Lucas Cranach, bem como a grande obra-prima do museu, o Retábulo de Isenheim de Grünewald (pinotr dos painéis) e Niclaus of Haguenau (escultor).

O antigo edifício dos banhos  municipais inaugurado em 1906 oferece um espaço perfeito para eventos temporários, enquanto as obras dos principais artistas do século 20, como Monet, de Staël, Picasso e Dubuffet, estão apresentam na ala contemporânea.

História do Museu

A extensão de Herzog & de Meuron do Museu Unterlinden, com a adição de um novo edifício contemporâneo que se integra com a arquitetura medieval, constitui um episódio notável na história do museu.

Ao visitar o convento e as coleções do museu, os visitantes podem ver os estágios sucessivos de sua história em mais de 150 anos. As paredes e as obras de arte testemunham o trabalho dinâmico da Société Schongauer, a associação que dirigiu o museu desde 1853.

O Museu Unterlinden abriu oficialmente suas portas em 3 de abril de 1853. Além do mosaico do século 3, descoberto em Bergheim, em 1848, e os moldes de gesso de esculturas antigas, apresentam-se obras de arte confiscadas durante a Revolução Francesa, como Retábulo de Isenheim, do artista Grünewald e o Altar dos Dominicanos, de Martin Schongauer.

Quando abriu, o museu ocupou apenas a capela, onde uma grande proporção de suas coleções foram apresentadas. Rapidamente, as obras  ultrapassaram os altos muros da nave, no entanto, e gradualmente, a partir da metade do século 20, se espalharam para todo o Convento Unterlinden.

No final do século 19 e ao longo do século 20, foram realizados trabalhos de renovação para adequar os espaços para a apresentação de obras de arte e proporcionar um ambiente confortável para o número crescente de visitantes.

No início do século 21, o museu estava superando os confins do convento e, durante as exposições temporárias, foi forçado a consignar suas obras de arte moderna na loja. O encerramento dos banhos municipais em 2003 e a transferência dos edifícios para o museu possibilitaram a planejamento de uma extensão ambiciosa que permitiu uma completa reinstalação das coleções. Num concurso de arquitetura internacional lançado em 2009, os arquitetos suíços, da cidade de Basileia, Herzog & de Meuron foram escolhidos para realizar o trabalho.

Os arquitetos apresentaram o Museu Unterlinden com um esquema combinando arquitetura e museografia, bem como considerando a relação do museu com a cidade. O seu princípio orientador era respeitar a história do convento medieval, complementando-o com um edifício contemporâneo adjacente à parte traseira das piscinas municipais e ligado por uma galeria subterrânea.

Após a ampliação, dois complexos de construção, fisicamente conectados por uma galeria subterrânea, estão frente à frente através da praça Unterlinden. O convento medieval que consiste de uma igreja, um claustro, uma fonte e um jardim está no lado oposto. Do outro lado da praça, o novo edifício do museu reflete o volume da igreja e, juntamente com os antigos banhos municipais constitui um segundo pátio fechado.

Entre os dois complexos de museu, a praça Unterlinden recuperou seu significado histórico, relembrando os tempos em que, do outro lado do convento, estábulos e edifícios agrícolas formavam um conjunto conhecido como o “Akkerhof”. A parada de ônibus e o estacionamento existentes antes da renovação do museu tornaram-se agora um novo espaço público e urbano. O canal Sinn, que percorre a cidade velha de Colmar, foi reaberto, tornando-se o elemento central deste novo espaço público. Perto da água, uma pequena casa assinala a presença do museu na praça: o seu posicionamento, volume e forma são as do moinho que ali existia. Duas janelas permitem que os transeuntes olhem para baixo na galeria subterrânea que conecta os dois conjuntos de edifícios.

O aspecto final de seu projeto foi uma remodelação museográfica, com o objetivo de restaurar a coerência das coleções, exibindo as coleções históricas de arte no convento e a arte moderna na nova ala, ao mesmo tempo em que dobrou a área disponível para o museu.

Museu Unterlinden. Place Unterlinden – Colmar  França. Aberto de segunda a quarta, das 10h às 18h, quinta, das 10h às 20h e sextas, das 10h às 18. Fechado às terças e em alguns feriados.

Fique atento! Os horários podem sofrer alteração. Consulte sempre o site oficial.

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *