Museus Capitolinos – Roma – Itália

História das Artes > Museus > Museus Capitolinos – Roma – Itália
Museus Capitolinos – Roma – Itália
   

É um conjunto de palácios romanos que abrigam uma vasta e importantíssima coleção de obras de arte, considerado o Museu Cívico de Roma.

Estão localizados, exceto um prédio anexo, no topo da colina do Capitólio, em torno da praça redesenhada por Michelangelo em 1536, e reconstruída ao longo de 400 anos.

A colina do Capitólio é uma das colinas históricas que estão associadas à fundação e a história de Roma.
Durante o Império Romano, ficava o Templo de Júpiter, cujas fundações podem ser vistas hoje dentro dos museus.

A criação do museu começou com a doação do Papa Sisto IV em 1471 de uma coleção de bronze, tornando-se um dos mais antigos museus do mundo.

Esta antiga coleção foi aumentada ao longo do tempo graças às doações de papas, como Paulo III e Pio V, que queriam remover as esculturas pagãs do Vaticano.

A situação do museu melhorou em 1654 com a construção do Palácio Novo.

O museu foi aberto ao público pelo desejo do Papa Clemente XII em 1734.

Mais tarde, Bento XVI, inaugurou a Pinacoteca Capitolina com as coleções particulares da família.

A Pinacoteca Capitolina é a mais antiga coleção pública de pinturas.

Foi criada entre 1748 e 1750 com a compra de pinturas dos séculos XVI e XVII, incluindo obras-primas de Tiziano, Caravaggio e Rubens.

São João Batista – 1602 – Caravaggio

Com o tempo, outras obras foram incorporadas à coleção, que hoje é uma das mais significativas do mundo.

Rômulo e Remo -1616 -Rubens

Os Museus Capitolinos são considerados o primeiro complexo de museu do mundo e é o principal acervo público de Roma, com 12.977 m2 de área expositiva.

Palácio dos Conservadores

Aberto ao público em 1734, quase um século depois da encomenda do Papa Clemente XII, o Palácio dos Conservadores contém uma completa pinacoteca que inclui famosas pinturas de autores como Caravaggio, Tiziano, Rubens e Tintoretto, além de uma grande coleção de bustos de personagens ilustres.

Sala dos Conservadores

Uma das principais atrações dessa parte do museu é a figura original da Loba Capitolina, embora também possam ser encontradas outras obras de grande valor, como o Ritratto di Carlo I d’Angiò de Arnolfo di Cambio, de 1277, o primeiro retrato esculpido de um personagem vivo.

Loba Capitolina

Uma das salas mais chamativas do palácio é uma sala coberta por vidro onde é exposta a estátua equestre de Marco Aurélio o original, a cópia esta na Piazza del Campidoglio), além dos fragmentos que se conservam de algumas estátuas colossais.

Estátuas colossais do Império Romano

O Palacio dos Conservadores era um antigo edifício medieval onde o Conselho Público de Roma se encontrava.

Michelangelo foi o artista responsável pelo projeto da restauração da fachada, infelizmente ele morreu antes de concluir mais essa obra.

Detalhe da Praça do Capitólio, com o piso projetado por Michelangelo, imitando um diamante lapidado.

Palácio Nuovo (novo)

O Palácio Nuovo é dedicado principalmente à exposição da maioria das obras escultóricas da coleção, quase todas elas cópias romanas dos originais gregos.

Salão do Palácio Novo

Entre as melhores obras do museu está a Vênus Capitolina, uma escultura de mármore feita entre os anos 100 e 150 d.C., embora também se possam ver outras obras conhecidas como O Discóbolo, ou a imagem do Gálata moribundo.

Amazona Ferida, original de Fídias – cópia romana de original do século V a.C.

Na Sala dos filósofos são expostos excelentes bustos dos principais personagens da Grécia antiga, que posteriormente decoravam os jardins e bibliotecas das pessoas mais abastadas.

Detalhe das salas de esculturas

Recentemente, o percurso foi ampliado ao público, com a abertura da ala do Tabulário, neste local antigamente funcionava o depósito, agora é um lindo terraço panorâmico.

Sala do Galata moribundo

E a aquisição do Palácio Clementino, que hoje fica reservado para as exposições temporárias do Museu.

Em 1997, foi aberta uma sede separada na antiga Usina Termelétrica Giovanni Montemartini, no bairro de Ostiense, criando assim uma solução original de fusão entre a arqueologia industrial e a clássica.

Interior da Central Montemartini.

Em 2005, agregou-se uma nova ala ao museu, chamada “Êxedra de Marco Aurélio”.

O delicado plano de reestruturação exigiu que fosse criado um percurso bem articulado, com novos espaços expositivos e a reorganização de alguns setores do museu.

O percurso foi ampliado de forma significativa com a abertura do Tabulário ao público, cujos arcos proporcionam uma vista para o Foro Romano e dá acesso a outros edifícios através da Galeria de Ligação.

Fundações do Templo de Júpiter Capitolino

E foi feita uma nova diagramação do Palácio Caffarelli e a aquisição do Palácio Clementino, até então Sede da Prefeitura.

Palácio Caffarelli-Clementino

Sede da Prefeitura desde o período medieval, é também a entrada de acesso aos Museus Capitolinos.

Palácio Caffarelli-Clementino que faz parte dos Museus Capitolinos. Destaque para a cópia da escultura equestre de Marco Aurelio

No Palácio Caffarelli-Clementino está colocado também o medalhário, com a coleção de moedas, medalhas e joias.

Joalheria romana

Neste prédio há um espaço dedicado às mostras temporárias.

Sala das Tapeçarias

A Sala das Tapeçarias leva este nome por abrigar os tapetes de fabricação romana do Hospício de São Miguel, com algumas obras-primas de Rubens, Poussin, entre outros artistas famosos.

Os tapetes representam episódios lendários da Roma antiga.

 

Sala dos Triunfos

Na Sala dos Triunfos com a grande obra Menino com o Espinho, estátua em bronze de um garoto tentando tirar um espinho do pé (do século I a.C.).

Piazza del Campidoglio. Roma.Itália Horário de terça a domingo das 9h30 às 18h30.

Fique atento! O horário pode ser modificado. Consulte o site oficial da instituição.

 

 

 

 

 

COMO CITAR:

Para citar esta página do História das Artes como fonte de sua pesquisa utilize o texto abaixo:

IMBROISI, Margaret; MARTINS, Simone. Museus Capitolinos – Roma – Itália. História das Artes, 2021. Disponível em: <http://www.historiadasartes.com/sala-dos-professores/museus-capitolinos-roma-italia/>. Acesso em 07 Mar 2021.

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: