Palácio Pitti: vários museus em um único lugar

História das Artes > Museus > Palácio Pitti: vários museus em um único lugar
Palácio Pitti: vários museus em um único lugar

O Palácio Pitti em Florença é o maior palácio local com mais de 200 metros de comprimento, o majestoso e sóbrio palácio revestido em pedra forte, típica pedra da cidade. Dentro dos seus muros encontra-se os mais variados exemplares de Arte de diversos períodos artístico.

Iniciando pela arquitetura, o Palácio Pitti foi construído pelo banqueiro Lucca Pitti em meados de 1400.

Diz a tradição que o projeto usado pelos Pitti foi àquele que Brunelleschi, seguindo orientações de Giorgio Vasari havia feito para o novo palácio da Família Médici e que havia sido rejeitado por eles.

De acordo com a versão oficial, Luca Fancelli, um colaborador de Brunelleschi, teria sido o arquiteto do Palácio Pitti.

O edifício é de extrema elegância e na parte frontal está embelezado com uma praça de grandes dimensões, uma tremenda inovação na arquitetura residencial daquela época. O sócio e rival dos Médicis queria que as janelas do seu palácio fossem maiores que as portas do Palácio Médici.

Cerca de um século após a sua construção, o Palácio Pitti passou a ser propriedade dos Médicis, com Cosimo I e sua esposa Eleonora di Toledo. Seus sucessores moraram e ampliaram o Palácio.

Com a extinção dos Médicis em 1737, a Família Lorena passou a governar a Toscana e manteve sua residência no Palácio Pitti.

Entre 1799 e 1815 Florença foi invadida por Napoleão e o Palazzo Pitti foi a residência de sua irmã, Elisa Bacciocchi.

Em época de Florença Capital da Itália (1865-71), foi a residência dos Savoia, até finalmente passar para o Estado em 1912.

Todas as salas são preenchidas do chão ao teto com quadros, seguindo o estilo barroco, e o teto é decorado com afrescos e estuques dourados.

As decorações mais importantes são realizadas por Pietro da Cortona: Salas dos Planetas (Vênus, Apolo, Marte, Zeus e Saturno), e Sala da Estufa com as 4 idades do homem.

Entre as centenas de quadros da Galleria Palatina, temos expostos 11 quadros de Rafael Sanzio, um dos grandes artistas do Renascimento ao lado de Michelangelo e Leonardo. O maior núcleo fica na sala de Saturno.

Algumas obras expostas na Sala: Madonna dell’Impannata, Casal Doni, La Velata e Madonna della Seggiola, “Amorino Dormiente” de Caravaggio, “Tondo Bartolini” de Filippo Lippi e “Maria Madalena” de Tiziano.

No primeiro andar do Palácio é possível visitar as 14 salas usadas pelo segundo Rei da Itália, Umberto I e sua esposa Margherita di Savoia que moraram aqui entre 1865 e 1871. Elas são decoradas suntuosamente, com paredes revestidas de seda colorida, teto com decoração à estuque, camas tipo dossel, quadros, vasos chineses, tapeçarias…

Na Sala de Vênus encontra-se uma das poucas obras de Antonio Canova, mais importante escultor de época neoclássica, em solo fiorentino.

Trata-se da Vênus Itálica, encomendada por Napoleão como substituta à Vênus Medicea (obra grega do séc, I a.C) que ele havia roubado da Galleria degli Uffizi em 1802.

No andar térreo, o Museu das Pratas, mas não são somente objetos em prata que compõem a coleção, também fazem parte objetos em marfim, ouro e pedras preciosas, sem dizer dos afrescos que decoram paredes e tetos criando ilusões de ótica incríveis.

No mezanino tem uma grande coleção de jóias da época dos Médicis até tempos atuais.

Jardim de Boboli este era o jardim do palácio, com mais de 45 mil m² de área, foi projetado por Triboli e Giulio e Alfonso Parigi entre 1550 e 1620. Um verdadeiro jardim à italiana, com plantas sempre verdes e dezenas de estátuas.

O Museu da Porcelana fica dentro dos jardins de Boboli, em seu ponto mais alto, dentro de uma “palazzina” de 1700 construída especialmente para o príncipe e futuro Grão-Duque Gian Gastone ter suas aulas de francês. A coleção tem peças principalmente da época dos Lorena.

Para quem gosta de arte moderna, no segundo andar do Palácio Pitti encontrará obras datadas do fim de 1700 até início de 1900.

Outra atração importante  é o Corredor Vasari,  Giorgio Vasari construiu o famosos corredor que liga ainda hoje o Palácio Pitti ao Palácio Vecchio, através da Galleria Degli Ufizzi.

Palácio Pitti. Piazza de Pitti, 1 – Florença – Itália. Aberto de terça a domingo, das 8h15 às 18h50. As entradas podem ser adquiridas no local ou antecipadamente pelo site oficial.

Fique atento! Horários podem mudar sem aviso prévio. Consulte sempre os sites oficiais.

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *