Santuário de Deméter, Atenas

História das Artes > Museus > Santuário de Deméter, Atenas
Santuário de Deméter, Atenas

Elêusis, o santuário de Deméter, está situada na costa ocidente de Atenas, no que era então uma paisagem idílica, agora completamente engolida pela indústria.

Era um local micênico e arcaico e é perfeitamente possível ter existido a continuidade de culto, embora nada saibamos de Deméter micênica. A maior parte dos seus santuários encontram-se por toda a Grécia, fora das muralhas da cidade.

Atenas apoderou-se de Elêusis em tempos históricos primitivos. O Telestérion, ou templo de Deméter, é de alguma forma representativo da construção local, com uma complexa história de reconstruções dos tempos micênicos aos romanos.

Mistérios Eleusinos

O culto de Elêusis baseava-se nos mistérios do ciclo natural de ressurreição e renascimento. As leis da agricultura, do sexo, da  natureza e dos deuses constituíam para os gregos primitivos um código interligado. O Hino a Deméter homérico, que se centra em Elêusis, é um dos documentos importantes de que  dispomos sobre religião antiga.

Deméter é a grande mãe da mitologia grega, responsável pela fertilidade da terra e pela agricultura. Teve uma filha com Zeus, chamada Perséfone. Certa ocasião, Hades, deus do mundo dos mortos, se apaixonou pela beleza da jovem Perséfone e a raptou, fazendo com que a terra se abrisse e ela fosse tragada, indo parar no Érebo, morada de Hades.

Deméter entrou em desespero procurando por todos os cantos a sua filha, sem encontrá-la. Sua tristeza repercutiu sobre toda a terra, na forma de uma grande seca e fome. Nada mais brotava e a humanidade estava à beira da morte, devido à fome.

Sabendo por Hélios (o deus Sol) que Hades havia raptado Perséfone, Deméter foi pedir a Zeus que o obrigasse a devolver sua filha. E assim aconteceu. Porém, quando Hades trouxe Perséfone ao encontro de sua mãe, esta já havia comido a romã (símbolo do submundo, da morada de Hades), ou seja, já havia sido desposada e tinha obrigações agora com o seu esposo, situação que resultou em um acordo: durante nove meses Perséfone ficaria ao lado de sua mãe e por três meses voltaria ao Érebo, para fazer companhia a seu marido. Surgia assim o inverno, estação em que a terra perde sua força vital, pela tristeza de Deméter ao estar longe de sua filha.

Os mistérios eleusinos celebravam o regresso de Perséfone, visto que era também o regresso das plantas e da vida à terra, depois do inverno. As sementes que ela trazia significavam o renascimento de toda a vida vegetal na primavera.

Museu Arqueológico de Elêusis

O museu está localizado dentro do sítio arqueológico de Elêusis. Construído em 1890, pelos planos do arquiteto alemão Kaverau, para manter as descobertas das escavações, e depois de dois anos foi estendido sob os planos do arquiteto grego J. Mousis.

Sítio Arqueológico de Elêusis. Elêusis (Prefeitura de Atica). Fica a 20 Km a Noroeste do centro de Atenas. Aberto de terça a domingo, das 8h às 15h (inverno) e das 8h às 20h (verão). Acesso por ônibus regulares que partem de Atenas da praça Koumoundourou ou da estação de metrô Estavromenou. Aberto de terça a domingo, das 8h30 às 15h.

Fique atento! Horários podem mudar sem aviso prévio. Consulte sempre os sites oficiais.

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *