Mês: junho 2016

História das Artes > 2016 > junho (Página 2)
Mistérios do Simbolismo

Mistérios do Simbolismo

Na solidão do pequeno vilarejo bretão de Pont-Aven, longe da agitação de Paris, Gauguin inventa uma nova pintura e se impõe como principal figura do simbolismo. Ele critica os impressionistas por suas buscas em torno dos efeitos fugazes da luz e não do núcleo misterioso do pensamento. Continue Lendo

Pontos Ben-Day

Pontos Ben-Day

Os Pontos Ben-Day é um processo gráfico, chamado assim em homenagem ao ilustrador e gráfico Benjamin Day. É similar à técnica do movimento artístico Neoimpressionismo. Dependendo do efeito que se quer, usando o colorido e ilusões de ótica, pontos pequenos são desenhados nesse processo em espaçamentos curtos ou longos, ou mesmo sobrepostos.  Continue Lendo

Neoimpressionimo, a busca pela ciência da cor

Neoimpressionimo, a busca pela ciência da cor

Em 1883-1884, Georges Seurat desenvolve um método científico para a pintura, baseado na divisão das pinceladas. As cores não são representadas diretamente: elas nascem da justaposição de tons, calculados em função de seus efeitos óticos. O olho recompõe a distância o conjunto de pontos e traços minúsculos aplicados sobre a tela de forma paralela ou perpendicular. Continue Lendo

Dois Colegiais, Édouard Vuillard

Dois Colegiais, Édouard Vuillard

Dois meninos brincam num jardim público, que Édouard Vuillard transformou num mágico mundo de sonhos. As faixas mosqueteadas de marrons e verdes criam harmonias manchadas de cores, conferindo à superfície um efeito delicadamente vibrante. Continue Lendo

A Janela Aberta, Pierre Bonnard

A Janela Aberta, Pierre Bonnard

A obra de Pierre Bonnard pode assemelhar-se a dos impressionistas, no entanto, ele pertenceu ao grupo Nabis. Os artistas que o compõem esse movimento definem a si mesmos como profetas de uma nova arte. Defendem uma concepção decorativa da pintura, em que a cor realça o tema. Continue Lendo