A Liberdade guiando o povo – Eugène Delacroix

História das Artes > Olho-vivo > Análise Estética > Obras Analisadas > A Liberdade guiando o povo – Eugène Delacroix
A Liberdade guiando o povo – Eugène Delacroix

O movimento Romantismo surge no século XIX  agitado por fortes mudanças sociais, políticas e culturais causadas por acontecimentos do final do século XVIII pela Revolução Industrial.

Esta gerou novos inventos com o objetivo de solucionar os problemas técnicos decorrentes do aumento de produção, provocando a divisão do trabalho e o início da especialização da mão-de-obra, e pela Revolução Francesa, que lutava por uma sociedade mais harmônica, em que os direitos individuais fossem respeitados, traduziu-se essa expectativa na Declaração dos Direitos do homem e do Cidadão.

Do mesmo modo, a atividade artística tornou-se mais complexa. O tema de Liberdade Guiando o Povo é o levante de julho de 1830, na França, que causou a substituição do rei Bourbon Carlos X por Luís Felipe, duque de Orléans.

Eugène Delacroix retrata um movimento crucial da revolta: o rompimento das barricadas pelos rebeldes.

O povo lutava por ideais nacionalistas e republicanos.

A dramaticidade da obra é ampliada pela estrutura piramidal da pintura e pelo vermelho, branco e azul do tricolor da Liberdade no “pico” da pirâmide.

Delacroix uma vez afirmou: “e se não lutei pelo meu país, pelos menos terei pintado por ele.”

Mesmo assim, Delacroix parece ter se representado no quadro, à esquerda de cartola.

Observam-se estudantes, arruaceiros, soldados e operários no quadro; assim como uma distante vista à direita da Notre-Dame parisiense.

A pintura é uma é uma corajosa versão moderna dos ideais clássicos (Liberdade, a mulher no topo da tela, tem os clássicos pelos nas axilas) e, por isso, chocou alguns observadores contemporâneos.

Veja os detalhes:

Bandeira: Ao colocar o vermelho sobre uma mancha de céu azul, Delacroix destacou seu tom vibrante.

As cores da bandeira se repetem na roupa do trabalhador aos pés de Liberdade.

O céu: A forma como Delacroix captou o céu mostra o caos da guerra urbana. Esta técnica do pintor francês combina a expressividade do romantismo com a estrita atenção ao detalhe do realismo, transmitindo emoção e permanecendo fiel ao tempo e lugar históricos.

Pé da imagem da liberdade: O pé de Liberdade se encontra sobre a barricada, o que sintetiza um momento grandioso da batalha.

Sombras: As áreas sombreadas da pintura mostram como Delacroix dominava a técnica do chiaroscuro.

Os fortes contrastes de sombra e luz, combinados com cores ousadas, acrescentam dramaticidade à Liberdade Guiando o Povo.

 

Liberdade Guiando o Povo, 1830, óleo sobre tela, 260 x 325 cm, Eugène Delacroix, Museu do Louvre, Paris.

Faça você também!
Desenhe um personagem personificando uma ideia abstrata, assim como Delacroix usou uma mulher para simbolizar a liberdade, em um cenário imaginado.
Pinte com as cores que mais se assemelham com as emoções desenhadas.

Fotografe e compartilhe nas nossas mídias sócias usando #historiadasartestalento

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Um comentário em “A Liberdade guiando o povo – Eugène Delacroix”.

Os comentários não representam a opinião do www.historiadasartes.com, a responsabilidade é do autor da mensagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *