Academia de Belas Artes de Veneza

História das Artes > Museus > Academia de Belas Artes de Veneza
Academia de Belas Artes de Veneza
   

As Galerias da Academia de Belas Artes nasceram em 1750, quando a República de Veneza decidiu dar à cidade uma Academia de pintores e escultores.

O primeiro diretor foi o pintor Giovanni Battista Piazzetta e a Academia estava localizada no edifício do “Fonteghetto della Farina” que atualmente é a Autoridade Portuária, pouco antes de chegar ao Cais de São Marco.

Inicialmente, reunia os trabalhos dos alunos da Academia.

Durante a ocupação napoleônica em 1807, a Escola de Arte e suas obras foram transferidas para um lugar mais digno e confortável.

Este é o lugar onde atualmente estão três importantes edifícios religiosos, a Grande Escola de Santa Maria della Carità, a Igreja de Santa Maria della Carità e o Monastério de Cônegos Lateranenses.

Estão reunidas inúmeras obras de antigas igrejas e conventos, além daquelas que já estavam em sua posse.

Entre 1816 e 1856 as Galerias da Academia foram enriquecidas com as coleções das famílias Molin, Contarini, Renier e Manfrin, que concederam a estas maravilhosas galerias, incontestáveis obras-primas da arte italiana.

Uma das salas expositivas da Academia de Belas Artes de Veneza

Após o Tratado de San Germano, de 1919, outras obras provenientes da Áustria foram adicionadas ao museu, assim como aquelas adquiridas pelo Estado italiano, graças aos interesses dos seus diretores.

As Galerias da Academia se separaram da Academia de Belas Artes de Veneza em 1879 e como outros museus estatais de toda a Itália, foram registradas no “Ministero per i Beni e le Attività Culturali”, o Ministério do Patrimônio Cultural italiano.

Espaço expositivo da Galeria de Belas Artes de Veneza

As Galerias da Academia estão localizadas na margem direita do Grande Canal, no bairro Dorsoduro, aos pés da Ponte da Academia.

Jantar na Casa de Levi – 1575 – Paolo Veronese. Destaque da sala expositiva acima

No início do século XVIII, enquanto Veneza era uma próspera comunidade de artistas, os seus pintores eram membros de uma corporação de artesãos, assim, ao contrário de outras grandes cidades, não havia nenhuma Academia de Arte.

O milagre da relíquia do outro lado da Ponte de Rialto – 1496 – Vittore Carpaccio

A sua fundação ocorreu em dezembro de 1766, quando o Senado ordenou a construção de uma Academia de escultura, pintura e arquitetura civil, semelhante às das principais cidades da Itália e da Europa.

O milagre de São Marcos libertando o escravo Tintoretto

Hoje as Galerias da Academia abrigam uma extraordinária coleção de pinturas venezianas que vão desde o bizantino, passando pelo gótico até chegar a artistas renascentistas como Bellini, Carpaccio, Giorgione, Veronese, Tintoretto, Ticiano, Giambattista Tiepolo, Canaletto Guardi, Bellotto, Longhi. Todos eles, artistas que influenciaram a história da pintura europeia.

Procissão na Praça São Marco – 1493 – Gentile Bellini

Academia de Belas Artes de Veneza. Campo della Carità, 1050 – Veneza – Itália. Aberta de segunda, das 8h15 às 14h, terça a domingo, das 8h15 às 19h15.

Fique atento! Os horários podem ser modificados. consulte sempre o site oficial da instituição.

COMO CITAR:

Para citar esta página do História das Artes como fonte de sua pesquisa utilize o texto abaixo:

IMBROISI, Margaret; MARTINS, Simone. Academia de Belas Artes de Veneza. História das Artes, 2021. Disponível em: <https://www.historiadasartes.com/sala-dos-professores/academia-belas-artes-veneza/>. Acesso em 23 Jul 2021.

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: