Ágora Romana em Atenas

História das Artes > Sala dos Professores > Ágora Romana em Atenas
Ágora Romana em Atenas

Ágora Romana de Atenas foi construída pelo imperador romano Augusto, entre 19 a.C. e 11 a. C., e ampliada pelo imperador Adriano. Correspondia a zona de mercado da cidade antiga, praça pública de Atenas e lugar de reunião dos cidadãos da época.

Após a invasão dos Hérulos, no ano de 267, a cidade de Atenas estava limitada ao interior das paredes romana. O centro administrativo e comercial da cidade foi transferido da Ágora Antiga para a Ágora Romana e para a Biblioteca de Adriano.

Através da monumental Porta de Atena Arquegetis, com quatro colunas dóricas, preservadas em boas condições, pode-se acessar uma ampla praça de 98 metros de comprimento por 111 metros largura, que era cercada por uma colunata de estilo jônico que delimitava o mercado em seus quatro lados, que alojavam as lojas.

Os restos que podem ser vistos na Ágora Romana permitem que se tenha uma ideia da magnificência e dimensões do mercado antigo, há como localizar uma fonte no centro da praça e vestígios das latrinas públicas que existiam lá.

As latrinas públicas ou vespasianas, construídas pelo Imperador Vespasiano, era um edifício retangular com uma antecâmara e uma sala quadrada que continha vários bancos com furos para fazer as necessidades. Naquela época, essas latrinas já tinham um canal de saneamento abaixo do banco de pedra que foi construído no século 1 d.C.

Também destacamos a Torre dos Ventos. Um edifício octogonal em mármore, construído, no século I a.C., pelo astrônomo Andrônico de Cirro. Era relógio de sol, relógio de água e cata-ventos. Com 12 metros de altura por 8 metros de diâmetro, era coberta antigamente por um cata-vento com o desenho de um Tritão, que indicava a direção do vento.

No friso há relevos que representam as oito divindades gregas para o vento, segundo sua direção: Bóreas (N), Kaikias (NE), Eurus (E), Apeliotes (SE), Noto (S), Lips (SO), Zéfiro (O) e Siroco (NO). No interior da torre havia ainda um relógio de água (clepsidra), movido pela água que vinha da acrópole.

Nos primeiros tempos do cristianismo, a torre foi usada como campanário de uma igreja bizantina anexa, destruída por um incêndio. A torre dos ventos estava semi-enterrada e chamuscada quando foi escavada e restaurada por arqueólogos no século 19.

Ágora Romana. Rua Polignotou, 3, Plaka, Atenas, Grécia. Aberta todos os dias, das 8h às 15h.

Fique atento! Horários podem mudar sem aviso prévio. Consulte sempre os sites oficiais.

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *