As Costureiras, Fernando Botero

História das Artes > Olho-vivo > Análise Estética > Obras Analisadas > As Costureiras, Fernando Botero
As Costureiras, Fernando Botero

Essa obra inconfundível do estilo de Fernando Botero, artista plástico colombiano de estilo figurativo, chamado por alguns chamados de “Boterismo”, o que lhes dá uma identidade inconfundível.

Consagrou-se mundialmente com seus personagens volumosos, tanto em suas pinturas como em suas esculturas.

“As figuras anafadas, gordas, desajeitadas, num estilo propositadamente naif, são a marca indelével da arte de Botero: uma mistura da cultura contemporânea da Colômbia e a inspiração nas tradições artísticas ocidentais, através de obras de mestres clássicos como Francisco Gota, Diego Velásquez e Piero delia Francesca.” Explica o artista.

Sobre a obra:

Quatro mulheres robustas costurando.

Muito tecido no estoque, o que sugere uma confecção

Uma delas, a de vestido verde, está de costas para o observador, com os braços levantados, escolhendo a peça de tecido a ser usada.

Traz um pequeno relógio num braço e uma pulseira vermelha no outro, que combina com os brincos.

É a de pele mais escura do grupo.

Seus cabelos crespos caem pelas costas.

A mulher de azul é a única a olhar para fora da tela, como se pedisse orientação a alguém.

Ela se encontra diante de uma mesa, onde se estende um tecido amarelo com finas listras vermelhas.

A tesoura aberta em sua mão direita significa que está prestes a entrar em ação, para cortar o tecido.

Seus cabelos cacheados descem pelas costas.

A mulher de vestido rosa, de perfil, sentada numa cadeira, costura um tecido vermelho.

Seus olhos estão focados atentamente no seu trabalho.

Seus cabelos escorridos também caem pelas costas.

A mulher de vestido marrom, costurando numa antiquada máquina, parece ser a mais importante do grupo.

Possui a pele mais clara dentre as quatro, destacando sua figura.

Suas unhas estão pitadas de vermelho, tem os cabelos cacheados, brincos vermelhos e traz as pernas cruzadas debaixo do móvel da máquina.

Um gato gorducho, deitado num tapete da cor de seus olhos, está de olho no observador.

Ele tem o pelo rajado e as partes inferiores brancas.

As Costureiras, Fernando Botero, 2000. Óleo sobre tela. 205 x 143 cm. Coleção Particular

Agora é a sua vez! Escolha uma cena do seu dia a dia em que mostra um grupo de trabalhadores juntos, dê um aspecto de pessoas mais gordas em todos eles. Pinte com cores vivas, sombreando as laterais para dar um aspecto mais cheio ao seu desenho.

Fotografe a sua obra e compartilhe nas mídias sociais #historiadasartestalento

 

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *