Passeio a Beira Mar, Sorolla

Passeio a Beira Mar, Sorolla
   

Durante o verão de 1909, Sorolla se encontra de novo na praia de El Cabañal, em Valença, lugar predileto do pintor, onde executou suas emblemáticas cenas de praia. Neste período suas telas vão se caracterizar pelo predomínio de luzes mais suaves e uma palheta que retoma o brilhantismo das obras realizadas em Jávea.Trata-se de um elegante retrato de sua mulher Clotilde e sua filha passeando à beira-mar. À esquerda, sua esposa, com um amplo chapéu de palha tem nas mãos uma sombrinha aberta e caída. Maria, a filha maior caminha com o chapéu fora da cabeça. As figuras estão iluminadas pelo tórrido sol de poente, que expande as sombras ao mar.

A cena está concebida em um espaço aberto e contínuo, técnica que Sorolla aprendera de seus contemporâneos franceses.

Torna a utilizar o ponto de vista alto que não deixa ver o horizonte; para isso utilizava uma plataforma que instalava na praia. Lá tomava notas da paisagem, realizando a estrutura compositiva e, depois, se transferia à praia com seus modelos, introduzindo-os dentro dessa ideia preconcebida.

Nesta ocasião utiliza uma palheta adequada a sua paixão pela luminosidade, rica em azuis e brancos e refratária totalmente ao preto. A luz é a que realmente domina na tela, submetendo tudo a sua inconstante volubilidade. São os raios do sol crepuscular os que originam as amplas sombras sobre a areia.

Os quadros que Sorolla pintou durante o verão de 1909 na praia de El Cabañal são fruto do sucesso alcançado na exposição de Nova Iorque.

Passeio à Beira-mar é a tela culminante desse momento, em que o artista se torna muito mais elegante. Foi a 4 de fevereiro daquele mesmo ano quando se inaugurou esta exposição.

O catálogo constava de 350 números, dos quais se venderam 163; além disso, durante o mês que durou a exposição foi visitada por mais de 150.000 visitantes. Obtendo um fabuloso apoio da crítica, aparecendo em toda a imprensa e sendo publicada posteriormente em dois volumes junto com o catálogo.

O sucesso fora completo e a exposição muito desfalcada pelas vendas, se transferiu a The Buffalo Fine Arts Academy e depois se apresentou na Copley Society de Boston. O artista a seu regresso a Espanha, havia reunido uma boa quantidade de dinheiro, além disso conseguira outras duas futuras exposições nos Estados Unidos para o ano 1911.

Passeio a Beira Mar, 1909, óleo sobre tela, 205 x 200 cm, Joaquín Sorolla, Museu Sorolla, Madri.

pincelAgora que você sabe mais detalhes sobre essa obra de Joaquín Sorolla, experimente desenvolver sua releitura sobre o tema, crie uma cena na praia ou no campo, usando o material colorido que você mais gostar.

quadroFotografe seu trabalho e compartilhe sua experiência conosco, nas nossas redes sociais, usando  #historiadasartestalento

COMO CITAR:

Para citar esta página do História das Artes como fonte de sua pesquisa utilize o texto abaixo:

IMBROISI, Margaret; MARTINS, Simone. Passeio a Beira Mar, Sorolla. História das Artes, 2021. Disponível em: <https://www.historiadasartes.com/sala-dos-professores/passeio-beira-mar-sorolla-2/>. Acesso em 01 Mar 2021.

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: