Diego Rivera

Diego Rivera

Diego María de la Concepción Juan Nepomuceno Estanislao de la Rivera y Barrientos Acosta y Rodríguez nasceu em 1886 em Guanajuato, México. Um artista naturalmente dotado, ele começou sua educação artística formal em uma idade jovem, desde criança sempre quis ser pintor e todos percebiam ter talento para isso.

Ao ficar adulto, após estudar pintura na adolescência, participou da Academia de San Pedro Alvez, na Cidade do México, partindo para a Europa, beneficiado por uma bolsa de estudos, onde ficou de 1907 até 1921. Nesse período é que se tornou reconhecido.

Durante a sua estada na Europa, Rivera foi apresentado a arte avant garde. Em Paris, ele tinha um lugar na primeira fila para o desenvolvimento do movimento cubista e em 1914 ele conheceu Pablo Picasso, que expressou admiração pelo trabalho do jovem mexicano.

Deixando Paris, quando a Primeira Guerra Mundial estourou, ele foi para a Espanha, onde ajudou a introduzir o cubismo, em Madrid.

Ele iria viajar pela Europa até 1921, visitando várias regiões, incluindo o sul da França e da Itália, e seria influenciado pelas obras de Cézanne e Renoir.

Esta experiência enriqueceu-o muito em termos artísticos, pois teve contato com vários pintores da época, como Pablo Picasso, Salvador Dalí, Juan Miró e o arquiteto catalão Antoni Gaudí, que influenciaram a sua obra. Nesta época começou a trabalhar num ateliê em Barcelona.

Retornando ao México, Rivera logo encontrou trabalho no novo governo revolucionário.

O Secretário de Educação Pública, José Vasconcelos, acreditava na educação através da arte pública, e encomendou várias pinturas e murais em edifícios do governo.

Além de Diego Rivera, também os pintores David Alfaro Siquieros e José Clemente Orozco participaram dessas encomendas.

A beleza e profundidade artística das pinturas de Rivera e seus companheiros muralistas receberam aclamação internacional.

Com a fama, Diego Rivera ganhou dinheiro para pintar em outros países além do México. Ele viajou à União Soviética em 1927 como parte de uma delegação dos comunistas mexicanos.

Ele pintou murais na Escola de Artes da Califórnia, The American Stock Clube Luncheon Exchange, e o Detroit Institute of the Arts, e outra foi levada para o Rockefeller Center, em Nova York.No entanto, ela nunca foi concluída devido à controvérsia sobre a inclusão de Rivera da imagem de Vladimir Lenin na obra.

Embora a sua estada nos Estados Unidos tenha sido curta, ele é considerado uma grande influência sobre a arte americana. Diego Rivera voltou ao México em 1934, onde retomou a vida de artista politicamente ativo. Ele foi fundamental para a deserção de Leon Trotsky da União Soviética para o México. Trotsky viveu com Rivera e Frida Kahlo por um tempo.

Em 1936 Rivera recebeu um pedido para intermediar uma solicitação de asilo político a Leon Trotsky, o que o faz junto ao Presidente Lázaro Cárdenas, obtendo-o. Em 1937 Leon e Natália Trotsky são recebidos na casa azul de Coyoacán, propriedade de Frida.

 André e Jacqueline Bretón chegaram no México em 1938 e foram hospedados na casa de Lupe Marín. Os Rivera, os Bretons e os Trotskys eram amigos e viajaram juntos pelo México.

Por suas idéias anarquistas, e por apoiar um candidato conservador á presidência, rompeu com Leon Trotsky em 1939.

Em 1940 diagnosticaram-lhe diabetes. Separou-se e divorciou-se de Frida Kahlo. Foi convidado para expor na Golden Gate Exposition, na Califórnia.

Após o assassinato de Trotsky, Frida foi a San Francisco e reconciliou-se com Diego. Voltaram a casar, porém foram viver em casas separadas.

De 1936 a 1940 Rivera dedicou-se especialmente a pintar paisagens e retratos.

Em 1943 pintou murais no Instituto de Cardiologia na Cidade do México. Deu aulas de composição e pintura no Colégio Nacional.

Apesar de sua relação tempestuosa, Diego ficou devastado pela morte de Frida Kahlo, em 1954.

Em 1955 casou-se com Emma Hurtado. Doou ao povo do México a Casa Azul de Frida que se tornou um museu.

Diego Rivera faleceu no dia 24 de novembro de 1957 em San Ángel, Cidade do México, depois do tratamento contra câncer, na sua casa estúdio, atualmente conhecida como Museu Casa Estúdio Diego Rivera e Frida Kahlo e os seus restos mortais foram colocados na Rotunda das Pessoas Ilustres, contrariando a sua última vontade.

A contribuição da obra de Diego Rivera a arte moderna mexicana foi decisiva em murais e pinturas em cavalete, foi um pintor revolucionário que buscava levar a arte para o público, para as ruas e edifícios, em uma linguagem precisa e direta, repleta de conteúdo social e realista.

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *