Henri Rousseau

Henri Rousseau

Nasceu em 21 de maio de 1844 numa torre medieval da cidade francesa chamada Laval – noroeste da França.
Seu nome completo era Henri-Julien-Félix Rousseau, além de pintor Henri, também era conhecido por ter trabalhado como inspetor da alfândega.

O estilo artístico em que Henri Rousseau mais se destacou, foi no pós-impressionismo moderno, porém, foi um pintor muito criticado por suas obras, pois não teve nenhuma instrução acadêmica, assim, muitos o descreviam como um artista infantil.

Rousseau não era um bom aluno, mas mostrava gostar de música, poesia e desenho. Aos 19 anos desistiu dos estudos e foi trabalhar como escriturário de um advogado da cidade, mas durou pouco tempo no emprego.

Sua estreia artística ocorreu em 1885 quando enviou dois quadros ao Salão dos Artistas Independentes, os quais foram recebidos com grande ironia.

Confiante em seu próprio talento, Rousseau enfrentou o desprezo daqueles que consideravam sua arte “muito infantil”. Sua obra só foi valorizada pelas vanguardas de Paris ao final de sua vida.

Por volta de 1890, começou a pintar quadros com pequenas flores, destacando as cores de cada uma delas em composições arrojadas para os padrões da época.

Este foi um ótimo exercício para melhorar suas paisagens, nas quais costumava ampliar as plantas que conhecia em suas visitas ao Jardim Botânico.

Embora pintasse densas florestas com árvores gigantescas, trabalhou quase que a vida inteira como funcionário da alfândega de Paris e só depois da aposentadoria em 1893 pode dedicar-se inteiramente à arte.

Casou-se duas vezes, primeiro com a costureira Clémence Boitard, com quem viveu durante quase 20 anos e teve dois filhos, depois com Joséphine Noury, em 1899, que veio a falecer quatro anos depois.

No final do século XIX, alguns de seus quadros começaram a chamar a atenção, graças aos esforços do escritor Alfred Jarry (1873-1907).

Considerado o pai da arte naïf, Rousseau goza desse prestígio não apenas por ser autodidata, não seguir as normas acadêmicas e se utilizar da desproporção e de cores vivas muitas vezes irreais; mas também pela forma ingênua com que encarou a própria vida.

Mesmo tendo tido um bom reconhecimento artístico entre vários pintores e admiradores, os que criticavam a obra de Henri Rousseau estavam em maior quantidade, fazendo assim com que suas pinturas nunca fossem expostas no salão oficial de Paris.

Henri Rousseau teve suas obras expostas em alguns salões de pintores amadores e obras rejeitadas, e foi dessa forma que alcançou a sua fama na sua carreira artística.

Este genial autodidata, conhecido como “Le Douanier”, foi o único pintor de estilo naïf que conseguiu exercer influência sobre estilos posteriores, como o surrealismo e o simbolismo.

Rousseau morreu em 2 de setembro de 1910, sendo enterrado numa vala comum do cemitério de Bagneaux, em Paris. Somente um mês depois, os obituários dos jornais noticiaram a morte, comparando sua obra com a de Uccello, um dos mestres da Renascença. Em 1947, seus restos mortais foram removidos para Laval.

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *