Marguerite Gérard

Marguerite Gérard
   

Marguerite Gérard nasceu em 28 de janeiro de 1761 em Grasse – França foi uma bem-sucedida pintora e gráfica francesa que trabalhava no estilo rococó.

Ela era filha de Marie Gilette e perfumista Claude Gérard.

Com a morte de sua mãe em 1775, Marguerite Gérard, a caçula dos sete filhos, passou a residir no Louvre com sua irmã e o marido de sua irmã Jean-Honoré Fragonard.

Ela viveu no Louvre com eles por aproximadamente trinta anos, permitindo que ela visse e se inspirasse em grandes obras de arte do passado e do presente.

Em 1785, ela havia estabelecido uma reputação de ser uma talentosa pintora de gêneros, a primeira mulher francesa a fazê-lo.

Tornou-se aprendiz não oficial de Jean-Honoré Fragonard, trabalhando a partir dos desenhos dele para criar seus primeiros trabalhos; logo depois, ela começou a criar suas próprias pinturas de gênero.

A representação da vida cotidiana se assemelha ao estilo de Gerard Ter Borch e Gabriël Metsu , artistas holandeses do século XVII.

Assim como esses artistas holandeses, Gérard pintou detalhes meticulosos usando pinceladas finamente misturadas.

Suas pinturas despretensiosas representavam a maior corrente subterrânea na arte do início do século XIX.

Retratando os pequenos dramas domésticos nas casas da rica classe média, Marguerite Gérard não apenas abriu o caminho para outras artistas mulheres, mas também para homens da próxima geração, incluindo seu sobrinho Alexandre Evariste , a quem ela tentou ser o que Fragonard, fora para ela.

Foi-lhe negada a adesão à Académie Royale de Peinture et de Sculpture devido a suas regras que limitam o número de artistas femininas a quatro ao mesmo tempo.

A Academia negou às mulheres o treinamento gratuito de arte oferecido aos homens na École des Beaux-Arts , ou o direito de competir pelo prestigiado Prix de Rome .

Apesar desses obstáculos, ela passou a exibir amplamente, principalmente após a Revolução Francesa, quando o Salão foi aberto às mulheres.

Sua associação com o círculo de Fragonard permitiu a Gérard a liberdade de permanecer solteira sem se tornar um fardo financeiro para si ou para seus pais; isso lhe permitiu dedicar sua vida a se tornar uma artista, uma carreira que continuou com considerável sucesso comercial por mais de cinquenta anos.

A especulação de que Gérard e Fragonard eram amantes foi completamente refutada, e Gérard se referiu ao artista mais velho como uma figura paterna.

Após a morte de Fragonard, ela continuou morando com a irmã por 17 anos.

Marguerite Gérard foi uma pintora conhecida durante sua vida.

O relatório oficial de LeBreton sobre o estado da arte francesa publicado em 1808 afirma que, em 1789, a reputação de Gérard correspondia à de Anne Vallayer-Coster , Adélaïde Labille-Guiard e Elisabeth Vigée-Lebrun .

Em 1785, ela havia estabelecido uma reputação de talentosa pintora de gêneros e foi uma das primeiras mulheres francesas a fazê-lo.

Sua arte foi anunciada com a frase “sous les yeux de Fragonard” (sob os olhos de Fragonard) para dar credibilidade aos seus primeiros trabalhos. Isso levou muitos historiadores da arte a superestimar o papel de Fragonard em sua arte.

Com cerca de 20 anos, Gérard desenvolveu seu estilo de assinatura, que apresentava detalhes minuciosamente precisos renderizados com pinceladas sutilmente misturadas.

Atualmente, aceita-se que Gérard fez as cinco gravuras em 1778 sozinha, com base nos desenhos de Fragonard.

Após a Revolução, uma vez que os salões começaram a aceitar a arte criada por mulheres, Gérard exibiu de 1799 a 1824.

Apesar de sua falta de treinamento formal, ela ganhou três medalhas por suas obras de arte.

Uma de suas pinturas, A Clemência de Napoleão, foi comprado pelo imperador Napoleão em 1808.

Outros clientes incluem Luís XVIII e vários membros da classe alta.

Colecionadores ricos compravam pinturas originais para serem exibidas em suas casas, enquanto gravuras de suas pinturas eram espalhadas entre a classe média.

Marguerite Gérard faleceu em 18 de maio de 1837 em Paris.

 

COMO CITAR?

Para citar o História das Artes como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

IMBROISI, Margaret; MARTINS, Simone. Marguerite Gérard. História das Artes, 2020. Disponível em: <http://www.historiadasartes.com/prazer-em-conhecer/marguerite-gerard/>. Acesso em 03 Dec 2020.

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: