Por dentro de mais uma casa de artista: Casa Buonarroti

História das Artes > Museus > Por dentro de mais uma casa de artista: Casa Buonarroti
Por dentro de mais uma casa de artista: Casa Buonarroti

A Casa Buonarroti, em Florença, é um museu dedicado à vida e obra do mestre da Renascença. O prédio onde funciona a instituição pertenceu a Michelangelo.

Vários herdeiros ocuparam e reformaram a casa, que, hoje restaurada, guarda preciosas esculturas da juventude de Michelangelo, bem como seus preciosos desenhos, além de funcionar como centro de estudos de artes plásticas e de investigação sobre tudo o que se refere ao gênio criador.

Fachada Casa Buonarroti
Fachada Casa Buonarroti

Pouco antes da sua morte, em 1564, Michelangelo pensou em destruir seus desenhos, esboços e plantas porque seu perfeccionismo não admitia que o mundo viesse a conhecê-lo num momento de invenção “imperfeita”. O sobrinho e herdeiro, Leonardo Buonarroti para quem Michelangelo comprou a casa da via Ghibelina, saiu em busca dos desenhos, espalhados entre muitos donos.

Aos poucos a família foi reunindo na casa de Michelangelo suas ideias em traços e papel, e hoje há cerca de 200 obras na Casa Buonarotti. Mas nem todos os descendentes tiveram essa boa consciência e desfalcaram, por cobiça, a coleção de tesouros. Fillippo Buonarroti, no século 19, vendeu vários deles a colecionadores franceses e o Cavalier Michelangelo Buonaroti ganhou fortunas em negócios com o Museu Britânico. Para evitar maiores danos, Cosimo Buonarroti, último herdeiro do nome do gênio, em 1858, doou a casa ao povo italiano.

Os desenhos foram restaurados e em 1975 retornaram à Casa Buonarroti, só saindo para turnês raras. São esboços de grandes criações do artista, como a Capela Sistina, a Basílica de São Lourenço e a Biblioteca Laurenciana.

Por meio desses e de outros desenhos pode-se entender como o artista passava da intenção para idealização, ainda que seja importante ressaltar a independência desses esboços, hoje aceitos como obras de valor autônomo.

Estudos de anatomia para os afrescos
Estudos de anatomia para os afrescos

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *