Museu Guggenheim | Nova Iorque

História das Artes > Museus > Museu Guggenheim | Nova Iorque
Museu Guggenheim | Nova Iorque

Um dos mais importantes museus de Nova York. Ele nasceu a partir da coleção de Solomon Guggenheim e cresceu com doações de outras obras.

Além das obras de seu interior, uma coisa que chama a atenção nesse museu é a sua arquitetura.

O projeto arquitetônico do museu original em Nova Iorque é do importante arquiteto americano Frank Lloyd Wright e é famoso pelas linhas curvas da fachada, representando a arquitetura moderna em sua forma mais orgânica.

O museu abriga importante coleção de arte moderna amealhadas pelo seu fundador e sua sobrinha Peggy Guggenheim no começo do século XX com um incalculável valor artístico e monetário.

Solomon Robert Guggenheim quando iniciou este projeto procurava um “homem guerreiro, amante do espaço, agitador, experimentador e sábio”.

Foi assim que ele encontrou Frank Lloyd Wright.

Solomon assumiu o enorme desafio que se apresentava na época: à medida que se transformava o paradigma da obra de arte, também deveria se modificar o perfil do museu que pretende abrigá-la ao se mirar, de modo amplo, as transformações pelas quais passou a obra de arte nos últimos 200 anos, ou seja, a conquista de sua condição moderna onde exposições de arte podem ser grandes instalações.

Ele então se perguntou: “Quais eram as mudanças necessárias para que o museu dê conta da exposição e da conservação dos trabalhos contemporâneos?”

As especificações impostas por Solomon Robert Guggenheim a Lloyd Wright foram bastante difíceis de transpor em termos arquitetônicos.

Em 1943, Hilla von Rebay e Guggenheim escreveram uma carta a Frank Lloyd Wright pedindo-lhe para projetar uma estrutura para abrigar e exibir a coleção.

Wright aceitou a oportunidade de experimentar com seu estilo orgânico em um ambiente urbano.

Ele levou 15 anos, 700 esboços e seis conjuntos de desenhos de trabalho para criar o museu.

Ele não poderia ser de forma alguma comparado com qualquer outro museu já existente.

E a solução encontrada por Frank foi única e que remete as idéias arquitetônicas visionarias do inicio do século XX, correspondendo a uma linguagem abstrata dos quadros que abriga.

O edifício cilíndrico, mais largo na parte superior do que no fundo, foi concebido como um “templo do espírito” .

Vista parcial da fachada do Museu Guggenheim

Sua galeria única de rampa se estende desde o nível do solo em uma espiral longa e contínua ao longo das bordas externas do edifício até o final sob a clarabóia do teto.

Vista interna da cúpula.

Sua construção se iniciou em 1956, sendo concluído três anos mais tarde.

O Museu Guggenheim só foi inaugurado em 21 de Outubro de 1959, após a morte de Wright, que morreu seis meses antes de a obra estar concluída.

O edifício sofreu expansão e reformas extensivas em 1992.

A coleção do museu cresceu organicamente, ao longo de oito décadas, e é baseada em várias coleções particulares importantes, começando com a coleção original de Solomon R Guggenheim.

A coleção é compartilhada com os museus irmãos do museu em Bilbao, Espanha e outros lugares

Fundada em 1937, a Fundação Solomon R Guggenheim dedica-se a promover a compreensão e apreciação da arte, principalmente dos períodos moderno e contemporâneo, através de exposições, programas educacionais, iniciativas de pesquisa e publicações.

A rede Guggenheim começou nos anos 70 quando o Solomon O Museu R Guggenheim, em Nova Iorque, juntou-se à Coleção Peggy Guggenheim, em Veneza, e expandiu-se para incluir o Museu Guggenheim de Bilbao (inaugurado em 1997) e o Guggenheim Abu Dhabi em desenvolvimento.

Olhando para o futuro, a Fundação Guggenheim continua forjar colaborações internacionais que levam arte, arquitetura e design contemporâneos para além das paredes do museu.

A Fundação também está empenhada em fomentar pesquisas, exposições e coleções no campo da arte global através de programas como o Asian Art Initiative, o Guggenheim UBS.

Iniciativa de Arte Global MAP e Iniciativa de Arte Chinesa da Fundação Robert HN Ho.

Rampas internas do Museu Guggenheim

 

Rampas e espaços expositivos do Museu Guggenheim

Solomon R Guggenheim, membro de uma rica família de mineradores, colecionava obras dos antigos mestres desde a década de 1890.

Em 1926, ele conheceu a artista Hilla von Rebay, que o apresentou à arte de vanguarda européia, em particular a arte abstrata que ela sentiu, tinha um aspecto espiritual e utópico arte não-objetiva Guggenheim mudou completamente sua estratégia de colecionar, voltando-se para o trabalho de Wassily Kandinsky, entre outros

Ele começou a exibir sua coleção para o público em seu apartamento no Plaza Hotel em Nova York como a coleção cresceu, ele estabeleceu a Fundação Solomon R Guggenheim, em 1937, para promover a apreciação da arte moderna

O primeiro local da Fundação para a exibição de arte, o “Museu de Pintura Não-Objetiva”, inaugurado em 1939 sob a direção de Rebay, no centro de Manhattan.

Sob orientação de Rebay, Guggenheim procurou incluir na coleção os exemplos mais importantes de arte objetiva disponível na época pelos primeiros modernistas como Rudolf Bauer, Rebay, Kandinsky, Piet Mondrian, Marc Chagall, Robert Delaunay, Fernand Léger, Amedeo Modigliani e Pablo Picasso

No início dos anos 1940, a fundação acumulara uma coleção tão grande de pinturas de vanguarda que a necessidade de um museu permanente se tornou aparente.

Em 1948, a coleção foi expandida através da compra do espólio de Karl Hierendorf de cerca de 730 objetos, notadamente pinturas expressionistas alemãs.

Na época, a coleção da fundação incluía um amplo espectro de obras expressionistas e surrealistas, incluindo pinturas de Paul Klee e Oskar. Kokoschka e Joan Miró

Após a morte de Guggenheim em 1949, membros da família Guggenheim que participaram da diretoria da fundação tinham diferenças pessoais e filosóficas com Rebay, e em 1952 ela renunciou ao cargo de diretora do museu.

No entanto, ela deixou uma parte da sua coleção particular para a fundação em seu testamento, incluindo trabalhos de Kandinsky, Klee, Alexander Calder, Albert Gleizes, Mondrian e Kurt Schwitters

Museu Guggenheim  1071 Fifth Avenue, na esquina da East 89th Street, no bairro de Upper East Side em Manhattan, Nova York, Estados Unidos. Aberto de segunda a quarta e sextas, das 10h às 17h45, sábados, das 10h as 19h45.

Fique atento aos horários, eles podem ser modificados. consulte sempre o site oficial da instituição.

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: