Angelus, Jean-François Millet

História das Artes > Olho-vivo > Análise Estética > Obras Analisadas > Angelus, Jean-François Millet
Angelus, Jean-François Millet

“Angelus” que melhor exprime o compromisso do pintor com o movimento realista.

Jean-François Millet mostra dois camponeses rezando, agradecendo pela colheita obtida através do suor e do esforço de muitos dias.

Como as obras de Millet mostram paisagens bucólicas, num clima de meditação e agradecimento.

Nesta famosa pintura, um homem e uma mulher em pé, em uma postura de reverência, na Hora do Angelus.

Ele de cabeça baixa, segurando o chapéu, ela leva as mãos ao peito num sinal de devoção.

A obra foi feita com tons escuros e recursos de sombreamento, o que tornam o momento da oração ainda mais profundo.

O espectador parece de deparar com um momento de silêncio, tal como se ele próprio também tivesse que ficar quieto em sinal de respeito.

A obra recebe o nome de “Angelus” em homenagem a oração que tem esse mesmo nome e que foi feita em homenagem ao momento em que o anjo Gabriel anuncia à virgem Maria que ela está grávida.

O Angelus é uma prática religiosa, realizada em devoção à Imaculada Conceição, repetida três vezes ao dia, de manhã, ao meio dia e ao entardecer.

Segundo o site do Museu d’Orsay, onde a obra pode ser vista, Millet explicou que essa posição foi inspirada em sua avó, que sempre rezava quando ouvia os sinos da igreja badalando no fim do dia de trabalho.

Angelus, 1857-59, óleo sobre tela, 55,5 x 66 cm, Jean-François Millet, Museu d’Orsay, Paris.

Chegou a sua vez de desenhar uma paisagem de campo com pessoas em momento de agradecimento pela sua colheita, procure explorar no seu desenho as características do Movimento Realista.

Fotografe a sua obra e compartilhe nas mídias sociais usando #historiadasartestalento

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *