Egon Schiele: Morte e Donzela

História das Artes > Sala dos Professores > Egon Schiele: Morte e Donzela
Egon Schiele: Morte e Donzela

O filme Egon Schiele: Morte e Donzela, do diretor austríaco Dieter Berner, aborda, de forma suave, como Egon Schiele se envolveu em controvérsias durante sua vida.

Em cartaz nos cinemas desde de julho desse ano, mostra a vida de um dos artistas mais provocativos da Viena no início do século 20.

A vida de Egon Schiele (1890-1918) repleta de episódios tão controvertidos quanto a sua obra, que, inspirada no trabalho do contemporâneo Gustav Klimt (1862-1918), não levava em conta padrões acadêmicos.

O cineasta realizou uma vasta pesquisa para a alicerçar as cenas do longa e deixá-las mais próximas à realidade vivida pelo pintor, dentre elas: suspeita de incesto, processo por pedofilia, relação com modelos e a mudança do título do quadro de sua famosa pintura, antes chamada de Homem e Donzela para Morte e Donzela, no catálogo de sua primeira grande mostra na Secessão de Viena, em março de 1918, em virtude do conhecimento da morte de sua amante e modelo Walburga Neuzil, a Wally.

COMO CITAR?

Para citar o História das Artes como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

IMBROISI, Margaret; MARTINS, Simone. Egon Schiele: Morte e Donzela. História das Artes, 2020. Disponível em: <https://www.historiadasartes.com/sala-dos-professores/egon-schiele-morte-e-donzela/>. Acesso em 11 Aug 2020.

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: