O Batismo de Cristo, El Greco

O Batismo de Cristo, El Greco

O formato preferido pelo pintor para as grandes composições sacras é um retângulo alongado com uma altura que é mais que o dobro da base. Esta proporção facilita a verticalidade das figuras e coloca as cenas em dois níveis sobrepostos. Na parte de baixo, as figuras têm uma maior corporização terrena, enquanto na parte mais alta, reservada às aparições divinas e aos coros angelicais, a luz brilha até diluir as imagens.

Este quadro destinava-se ao retábulo do altar-mor da igreja do Colégio dos Agostinianos de Dona Maria de Aragão, em Madri, célebre instituição religiosa perto da corte dos Habsburgos.

Essa foi a única encomenda executada por El Greco em Madri, onde era pouco apreciado por Filipe II devido ao seu estilo pouco natural e nada próximo dos objetivos devocionais reclamados pela Contrarreforma

O conjunto é envolto por uma atmosfera que dá unidade à obra e que provoca um movimento incessante.

João Batista, rude e vigoroso, derrama sobre a cabeça de Cristo a água que desce do halo luminoso do Pai e do Espírito Santo, simbolizado como sempre por uma pomba branca.

A espiritualidade que envolve as figuras é expressa através do alongamento dos membros e da irrealidade da atmosfera.

O Batismo de Cristo, c.1597, Doménikos Theotokópoulos conhecido por El Greco, Museu do Prado, Madri.

Agora que você sabe mais detalhes sobre esse quadro de El Greco, experimente fazer uma releitura dele ou crie um imagem religiosa do batismo, usando o material colorido que você mais gostar.

quadroFotografe seu trabalho e compartilhe sua experiência conosco, nas redes sociais, usando a #historiadasartestalento

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *