O Homem Vitruviano, Leonardo da Vinci

História das Artes > Olho-vivo > Análise Estética > Obras Analisadas > O Homem Vitruviano, Leonardo da Vinci
O Homem Vitruviano, Leonardo da Vinci

Por meio do desenho, Leonardo da Vinci não só realizava estudos para a elaboração de obras de pintura, escultura e arquitetura, muitas das quais jamais se concretizaram, mas também registrava aspectos da natureza com interesse científico e esboçava inventos que só se tornariam possíveis mais séculos depois.

O Homem Vitruviano é baseado numa famosa passagem do arquiteto romano Vitrúvio na sua série de dez livros intitulados de De Architectura, um tratado de arquitetura em que, no terceiro livro, ele descreve as proporções do corpo humano masculino.

O próprio Leonardo escreveu a respeito deste desenho:

Vitrúvio, o arquiteto, afirma em sua obra sobre arquitetura que as medidas do corpo humano são as seguinte: 4 dedos foram 1 palmo e 4 palmos formam 1 pé, 6 palmos formam um côvado (medida de comprimento antiga, equivalente a 66 cm); e 4 côvados formam a altura de um homem. E 4 côvados formam 1 passo, e 24 palmos formam um homem. O comprimento dos braços estendidos de um homem é igual à sua altura. Das raízes de seus cabelos à ponta do seu queixo é a décima parte da altura do homem; da ponta do queixo até o topo da cabeça é um oitavo da sua altura; do topo do peito às raízes do cabelo será a sétima parte do homem inteiro. Dos mamilos ao topo da cabeça será a quarta parte do homem. A maior largura dos ombros contém em si a quara parte do homem. Do cotovelo até a ponta da mão será a quinta parte do homem; e do cotovelo até o ângulo da axila será a oitava parte do homem. A mão inteira será a décima parte do homem. A distância da ponta o queixo até o nariz e das raízes dos cabelos até as sobrancelhas, é, em todos os casos, e como o ouvido, um terço da face.

Vitrúvio já havia tentado encaixar as proporções do corpo humano dentro da figura de um quadrado e um círculo, mas suas tentativas ficaram imperfeitas. Foi apenas com Leonardo da Vinci que o encaixe ficou perfeito e dentro dos padrões matemáticos esperados.

Este desenho ilustra a tese filosófica segundo a qual “o homem é a medida de todas as coisas”, própria do Renascimento. Considerado como um símbolo da simetria básica do corpo humano e, por extensão, para o universo como um todo.

O Homem Vitruviano, c.1492, lápis e tinta sobre papel, Leonardo da Vinci, Gallerie dell’Accademia, Veneza, Itália.

Agora que você sabe mais detalhes sobre esse desenho de Leonardo da Vinci, experimente fazer uma releitura dele ou criar um desenho que obedeça as indicações de Vitrúvio sobre as medidas do corpo humano, utilizando o material colorido que mais gostar.

Fotografe seu trabalho e compartilhe sua experiência conosco, nas redes sociais, usando a #historiadasartestalento

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *