Pintar um galo colorido ao estilo de Aldemir Martins

História das Artes > Olho-vivo > Ateliê > Pintar um galo colorido ao estilo de Aldemir Martins
Pintar um galo colorido ao estilo de Aldemir Martins

Aldemir Martins (1922-2006) foi um artista plástico cearense, ilustrador, pintor e escultor autodidata, de grande renome e fama no país e exterior.

Sua técnica passeia por várias formas de expressão, compreendendo a pintura, gravura, desenho, cerâmica e escultura em diferentes suportes.

O artista trabalhou com os mais diferentes tipos de superfície, de pequenas madeiras para caixas de charuto, papéis de carta, cartões, telas de linho, de juta e tecidos variados – algumas vezes sem preparação da base de tela – até formas de pizza, sem contudo perder o forte registro que faz reconhecer a sua obra ao primeiro contato do olhar.

Nos desenhos de cangaceiros, nos seus peixes, galos, cavalos, nas paisagens, frutas e até na sua série de gatos, transparece uma brasilidade sem culpa que extrapola o eixo temático e alcança as cores, as luzes, os traços e telas de uma cultura.

 

Da série Galos de Aldemir Martins

Proposta: Criar um Galo ao estilo de Aldemir Martins

Material: 1 tampa de caixa de papelão, pode ser de caixa de pizza, sem uso; lápis preto e borracha; mMaterial colorido da sua preferência.

Como fazer:

Desenhar um galo usando sua criatividade em retratar o formato do corpo, pés, suas penas bem extravagantes e colocar um olhar de furioso no galo.
Desenho pronto é hora de colorir: comece sempre pintando primeiro o fundo, isso deixará o acabamento da figura central, o galo, com melhor acabamento.
Não importa qual material esteja usando, esse “jeito” de colorir sempre resulta em ótimo efeito.
Pinte também com uma cor única a borda da caixa para dar efeito de moldura.


Obra pronta, chegou o momento de fotografar a sua obra e divulgar nas mídias sociais usando #historiadasartestalento.

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Um comentário em “Pintar um galo colorido ao estilo de Aldemir Martins”.

Os comentários não representam a opinião do www.historiadasartes.com, a responsabilidade é do autor da mensagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *