A Anunciação, Leonardo da Vinci

História das Artes > Olho-vivo > Análise Estética > Obras Analisadas > A Anunciação, Leonardo da Vinci
A Anunciação, Leonardo da Vinci

Não há prova documental relativa a esta pintura, mas ela é de tão alta qualidade que a maioria dos estudiosos consideram-na uma das primeiras obras-primas de Leonardo, elaborada provavelmente logo depois que ele ingressou, como “mestre”, na Corporação dos Pintores de Florença. Foi pintada encomenda do convento de Monteoliveto, nas proximidades de Florença.

Não foi identificado como pertencente ao legado de Leonardo senão em 1869. Conserva-se na Galeria degli Uffizi, em Florença, e reproduz a cena da Anunciação à Maria pelo arcanjo Gabriel, segundo o evangelho de São Lucas.

Este é um motivo iconográfico bastante tradicional na pintura religiosa. Leonardo inclui na representação os elementos típicos da mesma. O cenário é um jardim fechado. É denominado hortus conclusus e representa a virgindade de Maria. Também o ramo de açucenas que o arcanjo leva é uma alusão à sua pureza. A imagem da Virgem segue também os cânones habituais de uma figura ingênua mas solene.

Existe outra obra do mesmo tema que foi atribuída a Leonardo e que hoje se considera pertencente à oficina do seu mestre Verrocchio. Conservada no Museu do Louvre.

O arcanjo está localizado no mesmo jardim, sempre à esquerda. Maria encontra-se sob uma estrutura arquitetônica. O monumental púlpito serve aqui de separação entre ambos. Sobre este esquema típico, Leonardo combina a tradição florentina com as suas contribuições mais pessoais.

Esta tradição está simbolizada na ideia de acentuar o volume das figuras à base de contornos muito desenhados. Deste modo, o perfil do anjo foi comparado ao de Botticelli, enquanto o modelado da Virgem está relacionado com Verrocchio.

A composição é equilibrada. A tela dá uma sensação de profundidade graças à alternância de planos horizontais claros e escuros. Existem dois focos de luz: um provém do fundo e salienta a minuciosa vegetação; o outro incide diretamente e na diagonal sobre as figuras.

Esta Anunciação ilustra perfeitamente o período de juventude de Leonardo. O artista realiza uma obra religiosa dentro dos cânones iconográficos tradicionais. Ainda é patente na tela uma forte dívida para com a pintura florentina. Verrocchio, Lippi e outros mestres fazem parte da sua aprendizagem, e Botticelli pinta por aqueles anos A Primavera.

Sua dívida para com a pintura florentina do Quattrocento mistura-se nesta obra de devoção com outros traços que definem a sua obra. É o caso de uma aguda observação da natureza, refletida na precisão de um botânico com que trata a vegetação e as asas do anjo tiveram como modelo as asas de um pássaro. Uma paisagem nebulosa de fundo antecipa o que anos mais tarde fará na Gioconda, e seu espírito científico leva-o a realizar uma composição harmônica e equilibrada.

A Anunciação, c.1472, 217 x 98 cm, tinta à óleo e têmpera, Leonardo da Vinci, Galeria degli Uffizi, Florença, Itália.

pincelAgora que você sabe mais detalhes sobre esse quadro de Leonardo da Vinci, experimente desenvolver sua releitura sobre o tema, inspire-se em uma cena bíblica ou mitológica com cenário em arquitetura, e use o material colorido que você mais gostar.

quadroFotografe seu trabalho e compartilhe sua experiência conosco, nas nossas redes sociais, usando a #historiadasartestalento

COMO CITAR?

Para citar o História das Artes como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

IMBROISI, Margaret; MARTINS, Simone. A Anunciação, Leonardo da Vinci. História das Artes, 2020. Disponível em: <http://www.historiadasartes.com/sala-dos-professores/anunciacao-da-vinci/>. Acesso em 25 Sep 2020.

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: