Bom dia, Senhor Courbet, Gustave Courbet

História das Artes > Olho-vivo > Análise Estética > Obras Analisadas > Bom dia, Senhor Courbet, Gustave Courbet
Bom dia, Senhor Courbet, Gustave Courbet

Em maio de 1854, Courbet chegou a Montpellier como hóspede de Alfred Bruyas, importante patrocinador e colecionador de obras de arte.

Courbet representou-se de bengala e mochila no momento em que seu anfitrião veio ao seu encontro na estrada, com um criado e um cachorro.

O tema escolhido por Courbet, executado com grande realismo e franqueza, causou alvoroço quando o quadro foio exibido na Exposição Internacional de Paris e, 1855.

Logo Courbet tornou-se em líder de um tipo de arte novo e anti-intelectual, livre de amarras da pintura acadêmica histórica e religiosa. Afastando-se dos temas literários e voltando-se para o mundo natural que o rodeava.

Courbet exerceu uma influência importante sobre Manet e os impressionistas.

Quando pediram para incluir anjos numa pintura para uma igreja, diz-se que ele respondeu: “Nunca vi anjos. Mostre-me um anjo e eu o pintarei.”

Bom dia, Senhor Courbet, 1854, óleo sobre tela,129 x 149 cm, Gustave Courbet, Museu Fabrè, Montepellier, França.

Agora que você sabe mais detalhes sobre esse quadro de Courbet, experimente fazer uma releitura dele ou criar um desenho realista sobre o relacionamento entre pessoas e paisagem.

Fotografe seu trabalho e compartilhe sua experiência conosco, nas redes sociais, usando a #historiadasartestalento

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *