Anna Bella Geiger: Gavetas de Memórias

História das Artes > Sala dos Professores > Anna Bella Geiger: Gavetas de Memórias
Anna Bella Geiger: Gavetas de Memórias

Um singular trabalho de mapas e cartografias, criados com cera de abelha derretida, instalados em gavetas e propondo reflexões sobre questões sociais, políticas e ideológicas.

A exposição reúne trabalhos de Anna Bella Geiger, uma das principais artistas plásticas brasileiras contemporâneas.

São 12 gavetas produzidas por Geiger nos últimos 25 anos, nove gravuras e um vídeo que registra o processo criativo de uma obra feita especialmente para a exibição.

Anna Bella Geiger é uma das artistas brasileiras mais importantes, tanto pela inquietação que a levou a experimentar diversos meios, quanto pela qualidade de suas obras.

Influenciada pelo seu casamento de 60 anos com Pedro Geiger, um importante geógrafo brasileiro, a artista a passou a desenvolver, a partir dos anos 70, um singular trabalho com mapas, pelos quais é conhecida em todo mundo.

No final dos anos 70, Anna Bella se dedicou a pensar obsessivamente em geografia, cartografia e mapas, mergulhando nas questões sociais, políticas, ideológicas e tudo que pode significar o mapa-múndi, suas representações e desconstruções.

Inspirada nas lembranças de quando seu pai fazia objetos e fôrmas de biscoito, recortando latas de aveia, teve a ideia de como poderia apresentar suas obras.

Uma gaveta de arquivo velho à venda em uma loja de antiguidades foi a solução que passa a funcionar como o suporte para seus mapas.

Após diversas tentativas e experimentos, chega na cera de abelha derretida, que não só segura os objetos na gaveta, mas permite a criação de texturas, cores, marcas, carimbos e adornos.

A ideia ficou armazenada durante décadas até se concretizar na criação das obras como se apresentam hoje.

Segundo a própria artista: “Desde 1975 fico na busca de soluções para esses mapas-múndi até que em 95 encontro uma gaveta na porta de uma loja, toda enferrujada. Posso dizer que eu andei vinte anos pelo deserto. Passei vinte anos procurando o contêiner ideal para segurar o mundo. Gaveta de que é isso? Gaveta de arquivo? Era uma gaveta que teve uma história. Então é nesta gaveta que eu vou resolver essas camadas de significados, nas quais eu não tenho que explicar nada, e onde vai entrar o mapa com a história dele.”

A exposição “Anna Bella Geiger – Gavetas de Memórias” revela, então, o modus operandi e as motivações criativas de Anna Bella Geiger, além de passagens de sua singular trajetória como artista, mulher, mãe de quatro filhos e cidadã do mundo, que se mantém contemporânea aos 84 anos de idade.

Caixa Cultural. Praça da Sé, 111 – Sé – São Paulo – Aberta de terça a domingo, das 9h às 19h. Entrada gratuita. Até 13/05/18.

Fique atento aos horários. Consulte sempre o site oficial da instituição.

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *