Mestiço, Candido Portinari

Mestiço, Candido Portinari

Cândido Portinari foi um dos maiores pintores brasileiros da história. Suas pinturas são um reflexo de influências dos movimentos artísticos da sua época, mas valorizava as tradições da pintura e retratando a arte figurativa.

Portinari gostava também de abordar temas relacionados aos menos favorecidos no Brasil, como podemos ver em mais de 50 obras com o tema Social, como em “Os retirantes”, “Café” entre outros.

Obra analisada –  “Mestiço” pintado em óleo sobre tela – 1934 – pertence ao acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo. No quadro pintado por Portinari, mostra um personagem em uma lavoura de café, trabalhando no campo.

No primeiro plano, o homem aparece sem camisa, com os braços cruzados. Pela cor de sua pele, seus traços, olhos puxados e fundos, lábios grossos e grandes e nariz largo de que se trata de um mestiço mulato, nascido de uma mistura entre brancos e negros.

Outros traços marcantes são suas mãos grandes e unhas sujas, visto que o homem é um trabalhador braçal, tem os traços fortes e definidos, estatura alta e aparência forte. Com o homem em primeiro plano e a linha do horizonte ao fundo, é possível afirmar que trata-se de uma obra bidimensional e figurativa.

O quadro Mestiço causou um impacto dramático na maioria das pessoas, devido aos traços carregados de contrastes entre branco e preto e o grande expressionismo das cores.

Buscando referências em composições italianas e nos tempos de infância, quando trabalhava em cafezais paulistas, Portinari retrata a figura do lavrador mestiço, com os braços cruzados.

A cabeça e as mãos em formas gigantes dão convencimento à narrativa e tornam monumental e glorificado o trabalho realizado por classes operárias. Enquanto isso, as tonalidades da pintura em marrom e o roxo dos campos cultivados remetem à vitalidade da terra.

As pedrinhas localizadas à direita, e o tronco colocado à esquerda, também mostram as referências de pintores italianos que Portinari usou, neste caso para dar profundidade à imagem.

No fundo, com o muro de bananal à direita e a cerca do cafezal à esquerda, uma inspiração da perspectiva geométrica utilizada no Renascimento, que pode ser também observada pelo formato sólido da casa, em contraposição ao morro, à esquerda.

Mestiço, 1934, óleo sobre tela, 81 cm x 65 cm, Cândido Portinari, Pinacoteca de São Paulo.

pincelObserve um trabalhador braçal encontrado na cidade ou no campo e planeje uma imagem na qual os traços mostram qual é a grande força desse trabalhador.
Em papel e com lápis de cor imprima as cores que permitem dar mais evidências aos traços destacados.

quadroFotografe seu trabalho e compartilhe sua experiência conosco, nas nossas redes sociais, usando a #historiadasartestalento

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

2 comentários em “Mestiço, Candido Portinari”.

Os comentários não representam a opinião do www.historiadasartes.com, a responsabilidade é do autor da mensagem.
  1. Só uma correção: Mameluco, mestiço de branco e índio. Cafuzo ou carafuzo é o resultado da união entre negro e índio.

    1. Olá, Thiago. Obrigado pelo alerta
      Já corrigimos o texto, trata-se de mulato e não mameluco como constava.
      Um abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *