Pinacoteca de São Paulo

História das Artes > Posts com a tag "Pinacoteca de São Paulo"
Ernesto Neto: Sopro | Pina Luz | SP

Ernesto Neto: Sopro | Pina Luz | SP

A exposição ocupa o Octógono, sete salas do 1º andar e outros espaços da Pina Luz. Com curadoria de Jochen Volz e Valéria Piccoli, diretor e curadora-chefe do museu, respectivamente, a retrospectiva reúne 60 obras de um dos nomes mais proeminentes da escultura contemporânea.

Desde o início de sua carreira nos anos 1980, o artista vem produzindo obras que colocam em diálogo o espaço expositivo e as diversas dimensões do espectador. Continue Lendo

Trabalho de Artista: Imagem e Autoimagem(1826-1929) | Pinacoteca de São Paulo

Trabalho de Artista: Imagem e Autoimagem(1826-1929) | Pinacoteca de São Paulo

Com concepção curatorial de Fernanda Pitta, da Pinacoteca de São Paulo, e cocuradoria de Ana Cavalcanti (UFRJ) e de Laura Abreu (MNBA), a exposição apresenta um conjunto com cerca de 120 obras – pinturas, esculturas, gravuras e desenhos. Continue Lendo

Rosana Paulino: A Costura da Memória | Pinacoteca de SP

Rosana Paulino: A Costura da Memória | Pinacoteca de SP

A exposição ocupa três salas do 1º andar da Pina Luz.

Com curadoria de Valéria Piccoli e Pedro Nery, curadores do museu, trata-se da maior exposição individual da artista em uma grande instituição no país.

Reconhecida pelo enfrentamento de questões sociais que despontam da posição da mulher negra na sociedade contemporânea, a artista apresenta mais de 140 obras produzidas ao longo de vinte e cinco anos. Continue Lendo

Exposição Relance | Laercio Redondo | Pinacoteca de São Paulo

Exposição Relance | Laercio Redondo | Pinacoteca de São Paulo

A exposição ocupa os espaços do Octógono e também da exposição de longa duração do acervo no primeiro andar da Pinacoteca. Com curadoria de Fernanda Pitta, curadora sênior do museu, e consultoria curatorial da historiadora da arte norte-americana Kaira M. Cabañas, a mostra propõe investigar outras possíveis interpretações das narrativas da história do Brasil, contadas através da coleção do museu, a partir da experiência olfativa. Continue Lendo

Coleções em Diálogo: Museu Histórico Nacional e Pinacoteca de São Paulo

Coleções em Diálogo: Museu Histórico Nacional e Pinacoteca de São Paulo

Com curadoria de Valéria Piccoli, curadora-chefe da Pinacoteca, e Paulo Knauss, diretor do Museu Histórico Nacional – Rio de Janeiro, a coletiva apresenta uma seleção de obras dos dois museus, incluindo telas em grande formato, inéditas ou pouco vistas pelo público geral, como parte do programa desenvolvido pela Pinacoteca que propõe criar novas interpretações sobre as coleções das instituições, ao contrapor obras de seus acervos. Continue Lendo

Fazendo uma Pintura Acadêmica com tinta guache

Fazendo uma Pintura Acadêmica com tinta guache

História da Arte para Crianças

Pintura Acadêmica na Bela Época

No final do século XIX, o Brasil já era um país independente e muitas transformações aconteceram nas áreas sócio-econômica e politica brasileiras abolição da escravatura, proclamação da Republica, expansão da economia e industrialização. Continue Lendo

Valeska Soares: Entrementes | Pina_Estação | SP

Valeska Soares: Entrementes | Pina_Estação | SP

Com curadoria de Júlia Rebouças, a mostra ocupa o quarto andar e o espaço de entrada da Pina Estação e expõe uma seleção de 30 anos de produção da mineira, desde o final dos anos 1980, trazendo como temas principais o sujeito e o corpo, a memória e os afetos, e as relações entre espaço, tempo e linguagem. Continue Lendo

Laura Lima: Alfaiataria | Pinacoteca | SP

Laura Lima: Alfaiataria | Pinacoteca | SP

A  exposição Laura Lima: Alfaiataria, que ocupa o Octógono, no primeiro andar da Pina Luz. Laura Lima (1971, Governador Valadares) cria um diálogo inovador com a prática do museu ao apresentar uma oficina de alfaiataria em funcionamento, com profissionais, tecidos, aviamentos e todo o maquinário de uma confecção. Continue Lendo

Arte Primitivista ou Naïf

Arte Primitivista ou Naïf

Arte Primitivista ou Naïf (palavra de origem francesa, cujo significado é ingênuo) é um estilo artístico que não segue as regras tradicionais de representação de imagens. Geralmente os artistas primitivistas são autodidatas, isto é, aprendem sozinhos, e criam seu próprio estilo e os recursos técnicos com que trabalham. Continue Lendo