Monumento às Bandeiras

Monumento às Bandeiras

Muito se tem falado desse conjunto escultórico nos últimos dias, em virtude das pichações que a obra foi vitima e pelas técnicas usadas para a sua restauração e limpeza.

Para preservar é importante conhecer.

Monumento às Bandeiras é uma obra de arte executada pelo escultor ítalo-brasileiro Victor Brecheret, localizada na entrada do Parque do Ibirapuera, no município de São Paulo, Brasil.

Foi erguida na região centro-sul da cidade, na praça Armando Salles de Oliveira, em frente ao Palácio Nove de Julho, sede da Assembléia Legislativa e ao Parque do Ibirapuera.

Inaugurada em 1954, juntamente com o Parque do Ibirapuera para as comemorações do IV Centenário da cidade de São Paulo.

A obra representa os bandeirantes, expondo suas diversas etnias e o esforço para desbravar o país.

Além de portugueses (barbados), vemos na obra negros, mamelucos e índios (com cruzes no pescoço), puxando uma canoa de monções, utilizadas nas expedições fluviais.

As obras de Victor Brecheret, consideradas inovadoras para os padrões artísticos paulistanos, chamaram a atenção dos modernistas.

Brecheret propôs a construção de um monumento em homenagem às bandeiras, um tema com grande apelo histórico para os paulistas naqueles anos.

A escolha do tema partira do escritor Menotti del Picchia, que afirmava: “Os paulistas relembrariam os heróis de sua terra nas comemorações do Centenário da Independência.”

Uma maquete foi exposta na Casa Byington, à rua XV de Novembro, mas não conseguiu atrair patrocínio oficial ou particular, apesar da presença do Presidente do Estado, Washington Luis, na cerimônia de abertura.

Uma nova proposta do Monumento às Bandeiras foi apresentada ao Governo do Estado em 1936.

O artista compôs um grupo escultórico formando um bloco compacto esculpido em granito.

O interventor federal em São Paulo, Armando de Salles Oliveira, decidiu implantá-lo à entrada do Parque Ibirapuera, que ainda estava em projeto.

Com cerca de 11m de altura total por 8,40m de largura e 43,80m de profundidade, a obra está posicionada no eixo sudeste – noroeste, no sentido de entrada das bandeiras sertanistas em busca de terras no interior. Ao redor do pedestal, há várias inscrições no granito.

Na face frontal do pedestal, um mapa do Brasil mostra os percursos que os bandeirantes realizaram pelo interior do país, desenhado por Affonso de E.Taunay.

Na face lateral esquerda do pedestal, outra placa em granito polido traz a inscrição:

“Glória aos Heróis que traçaram

 O nosso destino na geografia

Do mundo livre,

Sem eles o Brasil não seria grande como é.”

Cassiano Ricardo

E na face lateral direita do pedestal, lê-se:

“Brandiram achas e Empurraram quilhas

Vergando a vertical de Tordesilhas.”

Guilherme de Almeida

A quarta figura à direita do monumento, no bloco imediatamente seguinte ao dos cavaleiros, traz a seguinte inscrição no seu ombro direito: “Autorretrato do escultor Victor Brecheret 02-10-1937”.

A apropriação do monumento pela população se expressa nos apelidos carinhosos que recebeu ao longo do tempo, como “empurra-empurra”, “deixa que eu empurro” ou “não empurra”.

Detalhes da Obra:

 

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *