Mulher com uma Flor, Paul Gauguin

História das Artes > Olho-vivo > Análise Estética > Obras Analisadas > Mulher com uma Flor, Paul Gauguin
Mulher com uma Flor, Paul Gauguin

Melancólica e sensual, esta bela polinésia toca o espectador pela vibração de suas cores vivas e pelos contornos intensos. Embora a pose seja tradicional, o artista evitou as regras usuais da arte ocidental.

As formas são simples, as cores são chocantes, e não há profundidade de perspectiva.

Gauguin personificava o desejo da virada do século de retornar a uma ideia romântica de vida primitiva. Abandonando sua família e uma carreira de sucesso, ele foi morar no Taiti.

Em seu livro Noa Noa, sobre sua vida naquele lugar, escreveu: “Fugi de tudo o que é artificial e convencional. Aqui penetro na Verdade, integro-me na natureza.”.

No Taiti, empenhou-se em captar a espontaneidade impulsiva e intuitiva da arte primitiva.

Gauguin foi um dos primeiros a utilizar a cor com propósitos puramente decorativos e emocionais. Isto, aliado a seu estilo simplificado e não-naturalista, tornou-se um dos pintores cuja contribuição foi mais importante para a arte moderna.

Mulher com uma flor, 1891, óleo sobre tela, 70 x 46 cm, Paul Gauguin, Ny Carlsberg Glyptotek, Copenhague.

Agora que você sabe mais detalhes sobre essa pintura de Paul Gauguin, experimente fazer uma releitura dela ou criar um retrato com cores vivas, usando o material que mais gostar.

Fotografe seu trabalho e compartilhe sua experiência nas redes sociais, usando a #historiadasartestalento

 

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *