Expressionismo

História das Artes > Posts com a tag "Expressionismo"
Maçãs e Laranjas, Paul Cézanne

Maçãs e Laranjas, Paul Cézanne

É uma das suntuosas naturezas-mortas de Cézanne e vale como um inventário estético: a autonomia expressiva é total, não existindo nenhum intuito naturalista: os vários planos e perspectivas se somam numa antecipação cubista de sensações de cor e forma; tonalidades quentes – amarelo, ocre e vermelho – pulsam dentro do contorno sóbrio das circunferências que as limitam. Pintada em Continue Lendo

Entre Construção e Apropriação, Sesc Pinheiros

Entre Construção e Apropriação, Sesc Pinheiros

Nesta exposição os artistas Geraldo de Barros, Rubens Gerchman e Antonio Dias evidenciam as poéticas construtivas, sem deixar de lado a cultura de massas dos anos 1960. Continue Lendo

Duas Exposições no Museu de Arte Brasileira

Duas Exposições no Museu de Arte Brasileira

A primeira exposição “P/B – Acervo MAB” apresenta um recorte de obras exclusivamente dominadas pelos pigmentos preto, branco e as gamas intermediárias de tons de cinza.

A segunda exposição ocupando a sala central do mesmo ambiente, a mostra “A cor não tem fim: pinturas e tapeçarias de Jacques Douchez” faz tributo ao artista e tapeceiro francês. Continue Lendo

O Pequeno Confeiteiro, Chaïm Soutine

O Pequeno Confeiteiro, Chaïm Soutine

Manchas espessas de tinta animam a superfície deste quadro. As formas distorcidas e o colorido agitado dão um ar de vivacidade desarticulada ao confeiteiro. Continue Lendo

De onde viemos? O que somos? Para onde vamos? de Paul Gauguin

De onde viemos? O que somos? Para onde vamos? de Paul Gauguin

A obra de Paul Gauguin, De Onde Viemos? O Que Somos? Para Onde Vamos? é  um friso enorme e com cores exóticas é, possivelmente, a obra mais ambiciosa do artista.

O cenário da pintura é o Taiti, lugar no qual o pintor passou a maior parte de seus últimos dez anos. Continue Lendo

A Montanha de Santa Vitória, Paul Cézanne

A Montanha de Santa Vitória, Paul Cézanne

Cézanne foi obcecado pela imponência dessa montanha, e pintou-a mais de sessenta vezes entre desenhos e pinturas, com crescente liberdade. Continue Lendo

Mont Sainte-Victoire, Paul Cézanne

Mont Sainte-Victoire, Paul Cézanne

Roxos, azuis, amarelos e vermelhos criam a montanha no sul da França. Em vez de alterar os tons das cores na medida que variavam com a luz e sombra, Cézanne alterava as próprias cores.

Continue Lendo

Paul Cézanne

Paul Cézanne

Paul Cézanne nasceu a 19 de janeiro de 1839, em Aix-en-Provence, pequena cidade da região mediterrânea francesa. Seu pai, Louis-Auguste Cézanne, era um próspero chapeleiro que, em 1848 fundou com um sócio o Banco Cézanne & Cabassol, o único existente em Aix, cujo crescimento trouxe fortuna à família. A mãe, Anne-Elisabeth-Honorine Aubert, havia sido operária da fábrica de chapéus de Louis-Auguste, com quem se casou em 1844, quando Paul já tinha 5 anos. Continue Lendo