Museu do Prado

História das Artes > Posts com a tag "Museu do Prado"
A Virgem da Rosa, Rafael Sanzio

A Virgem da Rosa, Rafael Sanzio

No segundo decênio do século 16, Rafael dirigia o ateliê romano mais importante e solicitado, do qual saíram, nos anos anteriores à sua morte precoce, ocorrida em 1520, inúmeras imagens da Virgem e e São João, precursor de Cristo. Muitas delas são consideradas pelos estudiosos como obras dos seus discípulos, especialmente de Giulio Romano e Giovan Francesco Penni, aos quais Continue Lendo

José e a Mulher de Putifar, Tintoreto

José e a Mulher de Putifar, Tintoreto

Nos quadros de Tintoretto, a estrutura teatral acentua a tensão dramática da ação, graças também à exasperação dos esboços em perspectiva e aos gestos dos protagonistas. Juntamente com outras cinco cenas bíblicas, todas de formato horizontal e conservadas no Museu do Prado (Judith e Holofernes, Susana e os Velhos, Ester diante de Assuero, Rainha de Sabá diante de Salomão, Continue Lendo

Saturno Devorando um de seus Filhos, Francisco de Goya

Saturno Devorando um de seus Filhos, Francisco de Goya

Essa obra também conhecida por Saturno pertence ao Museu do Prado, em Madri. É uma das mais famosas pinturas negras que decoravam a Quinta do Surdo. O afresco ocupava um lugar à esquerda da janela na sala de jantar. Continue Lendo

O Triunfo da Morte, Pieter Bruegel, o Velho

O Triunfo da Morte, Pieter Bruegel, o Velho

Desenhador, gravador e pintor, Bruegel, o Velho, foi inscrito, em 1551, na corporação de pintores de Antuérpia, mas sempre se sentiu essencialmente distante da clássica escola local e quase impermeável ao Renascimento Italiano, apesar da sua viagem à Península Itálica, entre 1552 e 1556. Continue Lendo

A Maja Vestida, Francisco de Goya

A Maja Vestida, Francisco de Goya

Continuam as discussões sobre a identidade da modelo, que por muito tempo se julgou ser a  Duquesa de Alba, outra hipótese é Pepita Tudó, amante e mais tarde esposa do poderoso ministro Godoy, como também sobre o significado do duplo retrato, vestido e nu, com a mesma protagonista e sobre a cronologia (a Vestida é, certamente, posterior, de 1800-1806). Continue Lendo

A Maja Desnuda, Francisco de Goya

A Maja Desnuda, Francisco de Goya

A tela, juntamente com a sua companheira, A Maja Vestida, foi muito provavelmente concebida para fazer par com aquela: ambas montadas numa moldura dupla, a tela com a moça vestida devia cobrir a nua como se fosse uma tampa que podia ser levantada.

Continue Lendo

O 3 de Maio de 1808 em Madri, Francisco de Goya

O 3 de Maio de 1808 em Madri, Francisco de Goya

Este espantoso quadro de Goya é uma das imagens mais memoráveis da desumanidade do homem para com o homem. Os exércitos de Napoleão ocuparam a Espanha, mas no dia 2 de maio de 1808 os cidadãos de Madri levantaram-se contra os franceses. Continue Lendo

O 2 de Maio de 1808 em Madri, Francisco de Goya

O 2 de Maio de 1808 em Madri, Francisco de Goya

Em 1814, Goya pediu ao Conselho de Regência para ilustrar os episódios mais relevantes da insurreição de Madri contra as tropas de Napoleão, ocorrida seis anos antes. Continue Lendo

Autorretrato, Francisco de Goya

Autorretrato, Francisco de Goya

Goya retrata-se nesta tela em 1815, aos sessenta e nove anos, quando as vicissitudes o puseram à prova: surdo há vários anos, vivera a invasão napoleônica, a longa Guerra da Independência começada em 1808 e terminada em 1814 e a restauração de Fernando VII ao trono espanhol, com a abolição do regime liberal instaurado durante a guarra e as consequentes repressões; e está viúvo há três anos. Continue Lendo

A Família Real de Carlos IV, Francisco de Goya

A Família Real de Carlos IV, Francisco de Goya

Este grande quadro é uma extraordinária prova da habilidade de Goya na composição de retratos de grupo, digna da tradição de Velázquez e Rembrandt. Continue Lendo