Cem Anos de Arte Belga, Centro Cultural Fiesp

História das Artes > Sala dos Professores > Cem Anos de Arte Belga, Centro Cultural Fiesp
Cem Anos de Arte Belga, Centro Cultural Fiesp

Com 69 obras do acervo da Coleção Simon, a exposição, com curadoria de Laura Neve, oferece um panorama da pintura belga moderna, desde o impressionismo de Emile Claus à abstração gestual de Louis Van Lint.

Em 1974, seis anos depois de chegar à Bélgica, o engenheiro alemão Heinrich Simon comprou sua primeira pintura: uma composição de Louis Van Lint.

Aquela aquisição acabaria marcando o início da paixão de Simon pela arte belga moderna, paixão compartilhada com sua esposa Françoise e mantida acesa por mais de três décadas.

Françoise e Heinrich Simon deixaram a Bélgica em 1977 e viveram em Mônaco, Nova York e Londres, mas se mantiveram atualizados e muito dedicados à arte belga.

Ao longo dos anos, adquiriram obras importantes, representativas das principais correntes da arte belga moderna de 1890 a 1980.

O acervo inclui obras de Emile Claus, James Ensor, René Magritte, Paul Delvaux, Louis Van Lint, Pol Bury e Pierre Alechinsky, para citar apenas alguns.

Les Marguerittes de Emile Claus

É inevitável e natural que a orientação pelo gosto pessoal dos colecionadores favoreceu ou excluiu determinados pintores, mas a evolução, as características e os movimentos históricos da arte belga moderna estão representados nas obras dos trinta e sete artistas apresentados na exposição.

As seções temáticas reúnem trabalhos de diferentes movimentos, enfatizando suas características compartilhadas, revelando a essência e a originalidade da arte belga.

O binômio arte-realidade é um tema central na exposição, destacando especialmente a posição ambivalente da maioria dos movimentos modernos, que oscilam entre um compromisso sincero com o mundo real e uma rejeição ao seu contexto contemporâneo.

Gradualmente, a busca precoce de autenticidade é corroída à medida que os artistas ganham liberdade para representar o mundo ao seu redor.

Esta exposição é uma celebração da arte belga moderna: a poesia, a estranheza, o mistério, seu caráter onírico e sua sátira mordaz.

Centro Cultural Fiesp. Galeria de Arte. Avenida Paulista, 1313 – São Paulo. Aberta de terça a sábado, das 10h às 22h e domingo, das 10h às 20h. Até 10/06/2018.

Fique atento aos horários, eles podem sofrer alterações. Consulte sempre o site oficial da instituição

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *