Leonilson: Arquivo e Memória Vivos | Centro Cultural Fiesp | SP

História das Artes > Sala dos Professores > Leonilson: Arquivo e Memória Vivos | Centro Cultural Fiesp | SP
Leonilson: Arquivo e Memória Vivos | Centro Cultural Fiesp | SP

O artista cearense radicado em São Paulo tomou os sentimentos, a sexualidade e as relações amorosas de si e daqueles que o cercavam para refletir sobre a condição humana.

Como páginas de um diário, seus trabalhos expunham aquilo que tinha de mais íntimo e de mais sensível.

Trazendo mais de 120 obras de Leonilson, a mostra é resultado da pesquisa e publicação em 2017 do catálogo raisonné do artista, e privilegia trabalhos pouco ou nunca vistos em São Paulo.

Revelação que faz saltar aos olhos pinturas, desenhos e bordados restritos por décadas em coleções particulares e institucionais, sem que pudessem vir a público porque eram desconhecidos.

O Que ele está fazendo, 1986 – Leonilson

O trabalho de Leonilson é excepcionalmente sensitivo.

É no uso do repertório gráfico que ele expressa a sua visão de mundo, inconfundível no manejo das formas dos símbolos, do desenho, das palavras, no formato dos textos, narrativas históricas e histórias que criava.

Sentimentos, sexualidade, relações amorosas, condição humana, família, amigos, todos constituem uma “cartografia do afeto” expressa na imagem de correntezas, rios, cachoeiras, montanhas, oceanos.

Trabalhos que serviam para o artista como páginas de um diário.

Expunha tudo sobre o papel, a lona e o tecido.

Uma “confusão” assumida de valores e emoções de um ser curioso pelas coisas do mundo.

É esta memória e arquivo vivos, o que ficou e o que se apresenta agora.

“O trabalho de Leonilson é excepcionalmente sensitivo.

É no uso do repertório gráfico que ele expressa a sua visão de mundo, inconfundível no manejo dos símbolos, no desenho das palavras, no formato dos textos e nas histórias que criava”, afirma o curador, para quem o artista constituía uma cartografia imagética do afeto.

“Ao mesmo tempo que toca pela delicadeza e simplicidade dos materiais utilizados, por outro lado fere como uma punhalada com suas verdades incontestes”, completa Ricardo Resende.

Centro Cultural FIESP – Galeria. Avenida Paulista 1313. São Paulo. Horário de terça a sábado das 10h as 22h e domingo das 10h às 20h. Grátis. Até 19 de maio.

Fique atento ao horário, eles podem sofrer alteração. Consulte o site oficial da instituição.

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *