Pesca Milagrosa, Rafael Sanzio

História das Artes > Olho-vivo > Análise Estética > Obras Analisadas > Pesca Milagrosa, Rafael Sanzio
Pesca Milagrosa, Rafael Sanzio
   

Enquanto Rafael Sanzio decorava a Stanza dell’Incendio di Borgo lhe foi encomendada, por Leão X no final de 1514, a execução de um conjunto de cartões para os tapetes que deviam adornar as paredes da Capela Sistina.

A 15 de junho de 1515, o pintor recebia trezentos ducados como parte do pagamento dos desenhos que se enviariam a Flandes para confecção dos tapetes. O último pagamento, desta vez de cento e trinta e quatro ducados, foi-lhe entregue a 20 de dezembro de 1516.

Destes dez cartões que deviam representar temas inspirados nos Evangelhos e nos Atos dos Apóstolos relativos à vida de São Pedro, primeiro pontífice, e de São Paulo, primeiro evangelizador; só se conservaram os sete primeiros.

Estes foram adquiridos pelo rei da Inglaterra, Carlos I e atualmente encontram-se no Museu Vitória e Alberto de Londres. Este cartão representa um tema tomado da passagem do Evangelho de São Lucas.

Ao realizar os cartões, Rafael devia levar em consideração a necessidade de pintá-los ao contrário, pois ao passá-los para os tapetes, o desenho era invertido.

A leitura habitual dos tapetes se fazia da esquerda para a direita, pelo qual, grande parte das composições carecem da simetria desenvolvida em torno a um eixo central.

Outra restrição que o artista teve que considerar foi a de limitar as gamas cromáticas às disponíveis pelos artesãos de tapeçaria. Devido a isto foi necessário pintar com têmpera, com tonalidades claras, e dispondo de luzes e sombras com grandes massas pouco matizadas.

Apesar de todas estas dificuldades, Rafael realizou umas esplêndidas composições, nas quais ele destaca, como se pode observar nesta obra, o porte heroico das figuras às quais ele dota de estudadas expressões gestuais conseguindo cenas cheias de vivacidade e eficácia dramática.

O pintor recria literalmente o texto do Evangelho de São Lucas:

“Assim que cessou de falar, disse a Simão: Reme mar adentro e lance suas redes para a pesca. Simão lhe respondeu dizendo: Mestre, a noite toda estivemos trabalhando e não pescamos nada, mas porque tu o dizes lançarei as redes. Fazendo-o, capturaram uma grande quantidade de peixes, tanto, que as redes se rompiam e fizeram sinais a seus companheiros da outra barca para que viessem ajudá-los. Vieram e encheram tanto as duas barcas que se afundavam. Vendo isto, Simão Pedro se prostrou aos pés de Jesus, dizendo: Senhor, afaste-se de mim, que sou homem pecador.”

Este milagre levou São Pedro à conversão, principal motivo do cartão e momento preciso que Rafael, seguindo a encomenda de Leão X, ilustra.

Pesca Milagrosa, 1515-16, cartão para tapeçaria, 320 x 390 cm, Rafael Sanzio, Museu Victoria e Albert , Londres.

pincelAgora que você sabe mais detalhes sobre essa obra de Rafael Sanzio, experimente desenvolver sua releitura sobre o tema, inspire-se nas características do Renascimento e crie uma cena mitológica ou folclórica, usando o material colorido que você mais gostar.

quadroFotografe seu trabalho e compartilhe sua experiência conosco, nas nossas redes sociais, usando  #historiadasartestalento

 

COMO CITAR?

Para citar o História das Artes como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

IMBROISI, Margaret; MARTINS, Simone. Pesca Milagrosa, Rafael Sanzio. História das Artes, 2020. Disponível em: <https://www.historiadasartes.com/sala-dos-professores/pesca-milagrosa-rafael/>. Acesso em 30 Nov 2020.

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: