Pessoas ao Sol, Edward Hopper

Pessoas ao Sol, Edward Hopper

Edward Hopper foi um pintor norte-americano conhecido por suas misteriosas pinturas de representações realistas da solidão em cenas do cotidiano das pessoas.

Tanto em cenários urbanos como rurais, as suas representações fielmente recriadas reflete a sua visão pessoal da vida moderna americana.

Na obra em questão, os personagens estão completamente vestidos, mudos e quietos, adoradores de sol e sentam-se em cadeiras alinhadas com precisão, cada um alheio a presença  dos outros.

A quietude da cena, com a luz e sombra bem contrastante, é fria e pouco aconchegante.

A obsessão do artista pela luz solar é o principal tema deste quadro, tal com nos seus trabalhos seguintes, e utiliza-a para criar contornos irregulares e uma atmosfera opressiva.

Analisando sempre o bizarro do mundano, o estilo de Hopper não foi influenciados pelos movimentos artísticos europeus contemporâneos ou pelo abstracionismo americano.

As suas figuras eram anonimas e ausentes, como se Hopper quisesse a sua recíproca indiferença, em vez de explicar o que os unia.

Sendo um dos artistas norte americanos mais populares, a obra de Hopper revela solidão, a fealdade, a banalidade e também a beleza inesperada do mundo cotidiano.

Pessoas ao Sol, 1960, óleo sobre tela, 102,5 x 153,3 cm, Edward Hopper, Instituto Smithsoniano, Washington, EUA.

Chegou sua vez de analisar e colocar no papel através de um desenho uma cena da solidão no dia a dia das pessoas, porém assim como o artista Edward Hopper ilumine a cena com a luz do sol, não esquecendo de destacar as sombras.

Fotografe a sua obra e compartilhe nas nossas mídias sociais #historiadasartestalento

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *