A Lição de Anatomia do Dr. Tulp – Rembrandt

História das Artes > Olho-vivo > Análise Estética > Obras Analisadas > A Lição de Anatomia do Dr. Tulp – Rembrandt
A Lição de Anatomia do Dr. Tulp – Rembrandt

A Lição de Anatomia do Dr. Tulp de Rembrandt, é uma de suas obras mais famosas e revolucionárias. A pintura, que havia sido encomendada pela Associação de Cirurgiões de Amsterdã; na época, a burguesia liberal pagava o que fosse preciso para ser eternizada em uma pintura que mostrasse sua riqueza, através das roupas e da imagem em si.

O quadro retrata uma aula de anatomia do doutor Nicolaes Tulp, na qual ocorre a dissecação da mão esquerda de Aris Kindt , um marginal que havia sido condenado à morte por assalto a mão armada no dia anterior.

Lições de anatomia realmente existiam e aconteciam em anfiteatros, dadas por doutores anatomistas, portanto não foi uma obra vulgar para a época. A pintura foi feita quando Rembrandt tinha apenas 26 anos, logo depois de se mudar para Amsterdã.

O quadro, retratado de maneira muito realista, representa o desejo do homem e sua inquietação por fazer descobertas sobre o funcionamento do corpo humano, seu comportamento e suas verdades.

A obra foi pintada com a técnica do chiaroscuro. A técnica herdada de Caravaggio, e revolucionou a maneira dos artistas produzirem obras que envolviam grupos de pessoas .

Os efeitos de luz e sombra, agregam à pintura uma noção de perspectiva, assegurando uma ideia de realidade; pode-se notar este efeito no corte feito para a dissecação do braço, e pela luminosidade sobre o cadáver, sugerindo que este é o centro da pintura.

Ha também um contraste entre a vida e a morte: enquanto o corpo encontra-se deitado e pálido, os personagens à sua volta dão a ideia de movimento e dinamismo

O corpo morto, que ocupa grande parte da tela, quase numa diagonal, chama a atenção do observador

Os sete espectadores vestem roupas escuras, com volumosas golas brancas e possuem barba.

O doutor Tulp é o único a usar chapéu, pois o uso de tal apetrecho no interior de um estabelecimento, naquela época, era privilégio apenas das pessoas mais importantes. Suas vestes também diferem das demais.

A posição mais afastada do médico, enquanto os demais personagens encontram-se amontoados, formando uma pirâmide, reforça a importância de sua presença.

Vinte e quatro anos depois, Rembrandt pintou A Lição de Anatomia do Dr. Joan Deyman (pintura danificada por um incêndio em 1723), em que se vê a cavidade abdominal aberta.

A Lição de Anatomia de Dr Tulp, 1632, óleo sobre tela, 169,5 x 216,5 cm, Rembrandt, Mauritshuis, Haia, Holanda.

Curiosidade

A obra tem uma versão desenhada pelo cartunista brasileiro Maurício de Souza, criador da Turma da Mônica. Essa releitura leva o nome de A Lição de Anatomia do Dr. Franjinha, e foi feita do ano de 1998.

O quadro substitui as personagens da pintura original por personagens do gibi: Franjinha substitui o doutor Nicolaes Tulp e Sansão – o coelho de pelúcia de Mônica – ocupa o papel do corpo de Aris Kindt.

Da esquerda para a direita, do ponto de vista do observador, outros personagens famosos da Turma ficam no lugar nos homens no quadro original: Humberto, Titi, Cascão, Magali, Mônica, Cebolinha e Anjinho.

Maurício de Souza utilizou a técnica do acrílico sobre tela para compor o quadro, de tamanho 117 por 155 cm.

 

Obra de Mauricio de Souza

Chegou sua vez! Escolha os seus personagens preferidos e faça sua interpretação da obra famosa de Rembrandt.

Fotografe a sua obra e compartilhe nas nossas mídias sociais #historiadasartes/talento

 

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *