A Adoração dos Pastores, El Greco

História das Artes > Olho-vivo > Análise Estética > Obras Analisadas > A Adoração dos Pastores, El Greco
A Adoração dos Pastores, El Greco

El Greco pinta esta tela nos últimos anos de sua vida. Ela tinha como destino ser instalada na sua capela sepulcral, pertencente à igreja de São Domingos, o Antigo. O pintor cretense realizara um monumental retábulo para esta paróquia, quando se instalou em Toledo por volta de 1577.

O fundo é quase neutro, deixando apenas sugerir um modesto espaço arquitetônico. O grupo de figuras não aparece centrado, mas levemente deslocado para o lado esquerdo. Os personagens inundam todo o cenário em penumbra. A ausência de espaço livre torna a cena um pouco opressiva.

O velho pastor ajoelhado diante da Virgem e da Criança é, com certeza, um autorretrato.

O pintor monumentaliza os personagens, alongados e distorcidos, e o acontecimento retratados. Seu modelado parece ter sido torcido deliberadamente, buscando causar uma maior impressão.

A iluminação também é artificial: o menino converte-se em foco irradiador de luz. A qualidade da luz é a encarregada de definir contornos e de matizar a tonalidade de cores empregada nas vestes dos personagens. A escuridão ambiente contrasta com o brilhantismo do colorido cuja aplicação é de características maneiristas.

Com esta obra El Greco atinge um extraordinário grau de virtuosismo estilístico. Esta circunstância encontra-se intimamente ligada a um lirismo pictórico que se torna cada vez maior. O fenômeno chama especialmente a atenção a partir dos trabalhos realizados a começos do século 17.

Nesta tela preferiu-se uma hábil e chocante combinação de iluminação e de colorido. A isso soma-se a deformação consciente do modelado das figuras, que revelam uma evidente estilização.

O artista concebe um sutil jogo de gestos. Os olhares dos personagens confluem à figura do menino.

Suas delicadas mãos sugerem uma espécie de movimento giratório. Há que recordar o fato de que o círculo é signo de perfeição e de divindade. A mesma coisa acontece com a luz, cuja fonte é necessariamente a imagem do menino.

A Adoração dos Pastores, 1612-14, óleo sobre tela, 3,20 x 1,80 cm, Doménikos Theotokópoulos, conhecido como El Greco, Museu do Prado, Madri.

Agora que você sabe mais detalhes sobre esse quadro de El Greco, experimente fazer uma releitura dele ou crie uma imagem religiosa, alongando a figura dos personagens, usando o material colorido que você mais gostar.

quadroFotografe seu trabalho e compartilhe sua experiência conosco, nas redes sociais, usando a #historiadasartestalento

 

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *