Auto de Fé Presidido por São Domingos de Gusmão, Pedro Berruguete

História das Artes > Olho-vivo > Análise Estética > Obras Analisadas > Auto de Fé Presidido por São Domingos de Gusmão, Pedro Berruguete
Auto de Fé Presidido por São Domingos de Gusmão, Pedro Berruguete

A pintura fazia parte de um retábulo com histórias do santo colocado na Sacristia de São Tomás de Ávila, cidade na qual o pintor passou a última fase de sua atividade.

Exemplifica, em finais do século 15, a transição da tradição gótica hispano-flamenga para as novas tendências renascentistas italianas, com as quais Berruguete estivera em contato durante a sua estada na Península Itálica. Com efeito, a partir de 1474, o pintor participou da decoração do gabinete e da biblioteca de Federico de Montefeltro no palácio ducal de Urbino.

O episódio descrito teve lugar em Tolosa, por volta de 1208, São Domingos, sentado numa tribuna alta protegida por um baldaquino, rodeado pelos juízes e pelo porta-estandarte da Inquisição, concede o perdão ao herege Raimundo, que se retratou, e preside à queima dos hereges albigenses.

Ao enfoque realista, de influência flamenga, junta-se a perspectiva, através de diagonais e de fugas em profundidade ascendente, e uma luminosidade difusa, as quais remetem aos pintores Piero della Francesca e Luca Signorelli.

Berruguete enche a cena com uma multidão de figuras, animadas por movimentos físicos e gestuais, retirando assim da representação do suplício os aspectos dramáticos e cruéis, como sucede com os dois hereges queimados vivos perante o tribunal da Inquisição.

A Inquisição foi estabelecida por Roma no século 13 como um tribunal contra os hereges e foi confiada aos dominicanos. Na Espanha, a Inquisição começou em Aragão e os Reis Católicos a estabeleceram para todos os reinos no século 15.

O primeiro Auto de Fé foi realizado em Sevilha em 6 de fevereiro de 1481, data próxima da realização do quadro de Berruguete. Dessa forma, o pintor transmite, através da sua obra, uma imagem que pode nos aproximar daquele primeiro acontecimento. Ainda que a maioria dos Autos de Fé fossem privativos, em algumas ocasiões, eram celebrados publicamente, como as execuções ou queima das bruxas em outros países europeus.

Auto de Fé Presidido por São Domingos de Gusmão, c.1495, têmpera e óleo sobre madeira, 154 x 92 cm, Pedro Berruguete, Museu do Prado.

pincel

Agora que você sabe mais detalhes sobre esse quadro de Pedro Berruguete, experimente criar um retábulo que conte um fato histórico ou crie sua releitura dele, usando o material que você mais gostar.

quadroFotografe seu trabalho e compartilhe sua experiência conosco, nas nossas redes sociais, usando a #historiadasartestalento

 

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *