Versões da obra de Claude Monet – A Ponte Japonesa

História das Artes > Olho-vivo > Análise Estética > Obras Analisadas > Versões da obra de Claude Monet – A Ponte Japonesa
Versões da obra de Claude Monet – A Ponte Japonesa

Em 1900 Claude Monet, mestre do movimento Impressionista pintou a ponte japonesa seis vezes.

Na última, ele mudou seu ponto de vista e não pintou as duas cabeceiras da ponte e suas pinceladas ficaram mais intensas.

Nessa obra ele mudou seu foco principal para o lado esquerdo cortando a ponte em duas, pintou a curva do caminho, as flores e o céu.

Ponte Japonesa - 1900 -Claude Monet
Ponte Japonesa – 1900 -Claude Monet

O artista deu atenção especial às cores rosa e vermelho complementando-as com verde escuro o que deu um contraste exótico ao quadro, levando o espectador a fazer algum tipo de meditação.

Há, também, um certo mistério entre o verde e o rosa da ponte que foi pintada em 1899.

Para quebrar um pouco o calor dessa obra, o artista pintou um céu azul e rosa na parte superior esquerda do quadro.

A composição desse trabalho, como sempre o fazia com perfeição, foi bem planejada e o artista utilizou justaposição dos planos, horizontal e vertical.

Também tem formas arredondadas e um tom de delicadeza como o caminho circular e as partes mais estreitas com cores suaves que podem ser vistas distante.

Essa obra foi exibida em 1900 na Galeria de Paul Durand-Ruel`s.

Após alguns anos de trabalho árduo, as obras de Monet encontraram excelente receptividade do público e eram consideradas como sendo a essência da França.

Os críticos diziam que as obras de Monet demonstravam com perfeição o espírito francês.

Aprecie as várias pinturas que Claude Monet fez da sua inspirada Ponte Japonesa, que até hoje encanta quem a visita na Casa do Pintor em Giverny – França.

 

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *