A Madona de Ansidei, Rafael Sanzio

História das Artes > Olho-vivo > Análise Estética > Obras Analisadas > A Madona de Ansidei, Rafael Sanzio
A Madona de Ansidei, Rafael Sanzio

O retábulo de altar que representa a Virgem com o Menino no trono, rodeada por São João Batista e por São Nicolau de Bari, com a mitra e o pastoral, foi encomendada pela família Ansidei para a Igreja de São Florenzo dei Serviti, em Perugia. Um dos três painéis que compunham a predela, A Prédica de São João Batista, está conservada no mesmo museu, em Londres.O distanciamento das composições executadas pelo artista antes da sua transferência para Florença (por exemplo, se contados com o Cristo Crucificado, na mesma galeria) parece radical: aqui domina a medida perfeita e contínua dos espaços, a exatidão dos elementos arquitetônicos, uma cor pura e refulgente, a matéria luminosa que se torna espaço e medida gerando as figuras, modelando-as nitidamente e simultaneamente recortando-as numa atmosfera de soberana e emocionante harmonia.

O nicho abobadado, aberto sobre a luminosa campina da Úmbria, cujas tonalidades pálidas recordam a pintura de Leonardo, enquadra a sagrada conversação num equilíbrio compositivo que originalmente devia ter parecido perfeitamente integrado na real arquitetura da capela da igreja de Perugia.

A disposição geral do quadro lembra ainda as formas de Perugino, como se pode ver também pelo baldaquino que cobre o trono erguido sobre a base, de modo que o faz corresponder ao belíssimo esboço da paisagem. Mais próximas das proporções florentinas parece, pelo contrário, a medida da abóbada que abriga todo o grupo.

A mão da Virgem estende-se para frente, apoiada no livro aberto sobre o joelho, e quer pelo esboço, quer pela execução naturalista, denota uma técnica pictórica magistral que mais uma vez conduz aos ensinamentos de Perugino.

São João Batista, à esquerda do trono, aparece envolto em panos na gama os vermelhos presentes na obras do mesmo período; por exemplo, no retrato de Giovani Maria della Rovere. As partes descobertas denotam uma finíssima feitura das elegantes e sutis formas anatômicas, no entanto solidamente ancoradas ao solo.

A cruz de João é uma linha quase transparente pela luz, que resulta como elemento fundamental da composição.

A Madona Ansidei, c.1505, óleo sobre madeira de álamo, 2168 x 147,6 cm, Rafael Sanzio, National Gallery, Londres.

Agora que você sabe mais detalhes sobre esse quadro de Rafael, experimente fazer uma releitura dele ou crie uma composição religiosa com características renascentistas, usando o material colorido que você mais gostar.

quadroFotografe seu trabalho e compartilhe sua experiência conosco, nas redes sociais, usando a #historiadasartestalento

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *