A Barca de Dante, Eugène Delacroix

História das Artes > Olho-vivo > Análise Estética > Obras Analisadas > A Barca de Dante, Eugène Delacroix
A Barca de Dante, Eugène Delacroix

A ousadia das telas de Delacroix era constante desafio para os críticos da época A Barca de Dante, sua primeira grande obra, suscitou enorme entusiasmo no Salão de 1822, quando o Barão Gros aclamou-a como “a vitória sobre Rubens“. Dois anos mais tarde o próprio Gros se referiria ao quadro Os Massacres de Quios como “o massacre da pintura”.

Mas para Delacroix essa tela era o marco que desvendava novos e estimulantes caminhos. Essa tela seria sempre um de seus trabalhos favoritos.

Em sua estreia no salão oficial, Delacroix pintou uma cena do Inferno, a Divina Comédia. Dante (de capuz vermelho) e Virgílio (com um manto) atravessam o lago sinistro que banha a cidade infernal de Dis.

Delacroix escolheu esta cena para refletir sua visão de humanidade que ele sentia ter perdido a direção. A cena ocorre no inferno. Observe o brilho vermelho do inferno eterno no fundo e a palidez horrível dos mortos em primeiro plano, simbolizando todo o horror do submundo. Almas condenadas se debatem sob o barco, vendo-se a distância, a cidade incandescente erguer suas chamas vermelhas contra a escuridão do céu.

Veja na pintura os corpos contorcidos e as expressões aterrorizadas dos mortos, nus, os olhos arregalados de medo e os seus rostos contorcidos de dor. Sentimos a dor e o terror das malditas almas que tentam em vão se apegar à barca. No meio deste caos estão os dois poetas. Dante e Virgílio estão de pé na barca, observando o caos ao redor deles. Note, no centro da pintura, que as suas mãos estão tão perto que quase podem se tocar.

O aspecto anatômico das figuras é inspirado sobretudo em Michelangelo. Mas a influência mas a direta dessa sombria obra-prima vem da tela de Théodore Géricault, A Barca da Medusa.

A Barca de Dante, 1822, óleo sobre tela, 189 x 246 cm, Eugène Delacroix, Museu do Louvre, Paris.

Agora que você sabe mais detalhes sobre esse quadro de Delacroix, experimente fazer uma releitura dele ou criar uma cena em que as pessoas buscam desesperadamente sua salvação,  usando o material colorido que mais gostar.

Fotografe seu trabalho e compartilhe sua experiência conosco, nas redes sociais, usando a #historiadasartestalento

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *