São Francisco – Candido Portinari

História das Artes > Olho-vivo > Análise Estética > Obras Analisadas > São Francisco – Candido Portinari
São Francisco – Candido Portinari

São Francisco de Assis, protetor dos animais e um dos mais conhecidos santos do catolicismo, mas bastante conhecido por inúmeras devoções pela vida e exemplos de caridade que deixou para a humanidade. Obras sobre a vida de São Francisco são encontradas ao redor do mundo artístico.

Na cidade de Belo Horizonte, para a modernização da cidade, foi criado o projeto arquitetônico-artístico denominado Complexo da Pampulha. O arquiteto Oscar Niemeyer foi o responsável pelo projeto da Igreja de São Francisco, que possui belas curvas sinuosas.

Igreja São Francisco – complexo da Pampulha – Belo Horizonte – Brasil

O pintor Candido Portinari, criou o mural que ornamenta a igreja, na qual retratou uma cena da vida de São Francisco, em que ele se despoja de suas vestes diante de sua família burguesa de comerciantes.

Portinari levou em conta a mesma sinuosidade da igreja projetada pelo arquiteto.

São Francisco é a figura central da composição, cujo destaque se dá através de cores mais fortes, em tons marrons.

Em torno dele, vários grupos de personagens estão distribuídos, em cores mais sóbrias, formalizando a narrativa sobre sua vida.

Embora ainda se mostre forte, o corpo do santo apresenta sulcos profundos, com os ossos descarnados.

Uma aura branca sobre a sua cabeça.

À esquerda de São Francisco, há mulheres em oração ou em lamentação, enquanto à direita é possível distinguir um homem doente, sentado, amparado pelo santo.

Possivelmente, trata-se da figura de um leproso, envolto num lençol.

Um homem de batina traz uma criança ao colo.

O grupo de pessoas assustadas corresponde à família do santo, diante de seu gesto.

No topo do tondo (redondo, circular) alguns personagens sentem-se tocados pelo gesto de São Francisco, ao se despojar de suas vestes.

O santo tanto representa o homem que acolhe o leproso quanto aquele que segura a criança.

São Francisco não é apresentado segundo a tradição, usando um hábito rústico com um cordão.

Também não possui as chagas de Cristo nem a caveira

Ele usa trajes gastos, possui o rosto cheio de sulcos e os braços descarnados.

Seus pés e mãos são desproporcionais e rudes, como os dos trabalhadores rurais presentes na obra do artista.

A presença do cão alude ao amor do santo pelos animais.

Ficha técnica
Ano: 1945
Dimensões: 750 x 1.060 cm (em tondo)
Técnica: pintura mural a têmpera
Localização: Igreja São Francisco de Assis, na Pampulha, Belo Horizonte, MG, Brasil

Agora chegou a sua vez! A proposta é criar um desenho com uma figura central e pequenos detalhes da vida do seu personagem compondo toda a imagem. Pinte em tons de uma cor da sua escolha.

Fotografe a sua obra finalizada e compartilhe nas nossas mídias sociais #historiadasartes/talento

 

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *