Henri Matisse

Henri Matisse

Ele nasceu no dia 31 de dezembro de 1869, na cidade de Le Cateau-Cambrèsis, uma pequena cidade que fica ao norte da França. Estudou Direito, mas abandonou essa profissão porque percebeu que o que ele queria mesmo era ser pintor.

Tudo começou porque ele ficou doente e por um bom tempo precisava permanecer de repouso e para se distrair sua mãe lhe presenteou com um estojo de pintura e então, não parou mais.

Mesmo contrariando a família, largou a advocacia e foi para Paris estudar pintura. Na Academia Julian conheceu um pintor chamado Albert Marquet, que se tornou seu amigo e essa amizade durou a vida inteira.

Mas, Henri Matisse não gostava de ficar limitado na forma convencional do aprendizado da arte, na qual tem que seguir regras e geralmente a pintura é como um retrato do real.

Aos 23 anos, ele foi para um ateliê mais “moderno” na qual um renomado pintor Gustave Moreau o incentivou a copiar obras dos Grandes Mestres expostos nos principais museus de Paris para aprender o oficio.

Dois anos depois, Matisse conseguiu ser aceito pela École des Beaux-Arts (Escola de Belas Artes de Paris).

Ele tinha uma jeito muito sério de se vestir, talvez porque tenha  cursado Direito e se acostumou com uma roupa mais social. Ele usava barba bem aparada e óculos. Nessa época casou com Amélie Parayre e tiveram dois filhos e Amélie adotou também, uma filha que Matisse tinha tido com outra namorada. Depois da morte do seu mestre Gustave, Henri Matisse abriu seu próprio ateliê e percebeu que precisava aprender mais, foi fazer um curso de escultura.

No começo do século 20 um importante negociante de arte, Ambroise Vollard, organizou uma exposição das pinturas de Matisse em Paris.

Quando conheceu dois artistas chamados André Derain e Maurice Vlaminck, iniciaram um movimento artístico radical chamado “Fovismo”, que quer dizer “Selvagem” e ficaram famosos quando participaram de uma exposição chamada “Salão de Outono” . Matisse pintou muito e viajou por vários países da Europa, da África e Ilhas do sul do Pacifico, o que resultou em novos conhecimentos e também em ensinar pintura para aqueles que gostavam do seu estilo. Das constantes viagens que fazia sempre trazia cerâmicas e tecidos coloridos dos locais que conhecia.

Antes de chegar aos 40 anos Matisse já era reconhecido como um artista extraordinário e mesmo não usando pinceladas vigorosas como do período do estilo fovista, continuou simplificando as formas e objetos com cores e formas. Não se contentou em pintar tela, fez também litogravuras, desenhos para tapeçarias e ilustrar livros.

Quando já não conseguia ficar muito tempo em pé diante do cavalete Matisse recortava papéis colorido e colava em grandes espaços criando novas imagens e sem deixar a sua “eterna brincadeira” com as cores.

Mesmo quando, por causa de problemas de saúde e precisava de repouso, Matisse criou e pintou os vitrais e idealizou e pintou os murais da Capela em Vence na França.

Henri Matisse viveu até os 85 anos e sua vida era criar e pintar e pintar….. até o seu último suspiro.

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *