Obras Analisadas

História das Artes > Olho-vivo > Análise Estética > Arquivo "Obras Analisadas"
Os Guarda-Chuvas, Pierre-Auguste Renoir

Os Guarda-Chuvas, Pierre-Auguste Renoir

Com a distância de dez anos dos entusiasmados que rodearam a sua aparição na primeira mostra impressionista no estúdio parisiense do fotógrafo Nadar, Renoir parece dar aqui uma volta à sua pintura tão feliz e livre. Continue Lendo

O Jardim das Delícias, Hieronymus Bosch

O Jardim das Delícias, Hieronymus Bosch

Bosch foi o último e talvez o maior dos pintores medievais. Sua visão da humanidade é pessimista e moralizadora: o ser humano carrega uma falha fundamental desde a expulsão de Adão e Eva do Jardim do Éden. Na filosofia de Bosch, a salvação é possível, porém com grande dificuldade e o destino provável da maioria das pessoas é a danação eterna. A morte e o medo da morte são uma realidade sempre presente na sua arte. Continue Lendo

Alegoria dos Prazeres Carnais, Hieronymus Bosch

Alegoria dos Prazeres Carnais, Hieronymus Bosch

A forma mais característica das pinturas de Bosch foi o tríptico: uma sequência de quadro que lhe permitia desenvolver a narração no espaço e no tempo, aproveitando, como entreato ou crítica moral, as partes exteriores dos painéis. Descreve manifestações críticas da vida europeia em um período de transição dividido entre os valores tradicionais (medievais) e os modernos (humanistas). Continue Lendo

Efeito do Outono em Argenteuil, Claude Monet

Efeito do Outono em Argenteuil, Claude Monet

Monet foi o principal pintor impressionista, e esta é uma das obras mais importantes do Impressionismo – uma paisagem moderna, pintada em estilo moderno, em pequena dimensão, sem nenhuma história para contar nem lição moral para comunicar. É uma fiel representação das impressões e sensações que os olhos experimentam.  Continue Lendo

O Batismo de Cristo, Piero della Francesca

O Batismo de Cristo, Piero della Francesca

Este quadro de Piero della Francesca mostra um dos rituais centrais da fé cristã. O batismo é um ato de purificação e renascimento; além de ser a ocasião formal em que se recebe o nome, significa que a pessoa batizada é recebida na Igreja. Continue Lendo

São Jerônimo em seu Gabinete, Antonello da Messina

São Jerônimo em seu Gabinete, Antonello da Messina

O interior do ambiente, construído com um fundo de perspectiva rigidamente centrado, remete para a experiência pictórica análogas de artistas flamengos ou da Itália Setentrional, como Jacopo Bellini e Mantegna. Continue Lendo